87% dos moradores de Alfredo Guedes preferem asfalto, mostra pesquisa

Encomendada pela Prefeitura, pesquisa ouviu 248 moradores; prefeitura ainda analisa a questão

Uma pesquisa de opinião pública e orientação técnica encomendada pela Prefeitura Municipal de Lençóis Paulista mostra que 87,67% dos moradores da Vila de Alfredo Guedes são favoráveis a substituição dos paralelepípedos por asfalto nas ruas do bairro. Além disso, o levantamento mostrou ainda que 58,5% da população residente já sofreu algum transtorno como quedas, escorregamentos, dificuldade para caminhar, acidente ou derrapagens de seus veículos nas ruas do bairro que possuem esse tipo de piso.

A pesquisa foi realizada no dia 26 de março pelo professor e sociólogo Ney Góes. Dez entrevistadores visitaram 152 imóveis e coletaram a opinião de 248 pessoas. O número, segundo Ney Góes, é mais do que suficiente já que, segundo dados da Prefeitura, 404 pessoas moram na Vila de Alfredo Guedes. “Descontando as crianças e adolescentes menores de 16 anos, foi entrevistada a maioria dos residentes e a pesquisa reflete, portanto, a opinião da maioria absoluta da população de Alfredo Guedes”, explicou o sociólogo.

Diante da repercussão do assunto na Câmara Municipal e também nas redes sociais, o Governo Municipal resolveu realizar a pesquisa para saber de forma científica qual era a opinião da população que mora no bairro e convive diariamente com ruas de paralelepípedos.“Existia muita discussão sobre o assunto e muitas opiniões divergentes sobre o tema. Por isso, precisávamos saber de maneira democrática, qual era a opinião da população que mora no bairro sobre essa questão. E a pesquisa deixou claro que quem mora lá e enfrenta diariamente o problema gostaria de ter ruas com asfalto. Eu entendo que existe um valor histórico que não pode ser simplesmente coberto por asfalto, mas entendo que seja pertinente a reclamação dos moradores sobre trepidações nos veículos e o risco que o paralelepípedo representa quando chove e fica liso, por exemplo”, diz o prefeito Anderson Prado.

O prefeito afirmou ainda que o fato da população do bairro ser majoritariamente favorável ao asfaltamento das ruas não significa que isso vai acontecer, pois estudos estão sendo realizados. “O que vamos fazer no momento é a construção das galerias pluviais para escoar a água da chuva. A prioridade é o que se mostra emergencial, porque independentemente se vamos recolocar as pedras ou fazer o asfalto, sem essa obra, com a próxima chuva forte, tudo será levado embora novamente. Com a construção das casas na parte alta do bairro, que serão entregues ainda neste ano, o volume de água que desce é muito grande e isso precisa ser feito antes de qualquer coisa”, completa o prefeito.

Desde que assumiu o cargo, o diretor da Vila de Alfredo Guedes e ex-vereador, Gumercindo Ticianelli Júnior, deixou claro que, caso os paralelepípedos sejam retirados das ruas, eles serão reaproveitados na restauração dos antigos prédios da Fepasa, que vão abrigar atividades de cultura, lazer e aprendizado e também fomentar o turismo na região. “Nosso objetivo não é jogar fora a história, pelo contrário, é valorizar a história para promover o desenvolvimento da Vila, que tem um grande potencial turístico para ser aproveitado”, explica o diretor.

Dados

Das 248 pessoas maiores que 16 anos ouvidas pela pesquisa, 87,67% disseram ser favoráveis aos asfaltamento das ruas que hoje tem paralelepípedos, 10,58% se declaram contra a medida e 1,75% não soube ou preferiu não responder. Outra pergunta que foi feita, tratou sobre o asfaltamento apenas das ruas com inclinação acentuada. Nesse caso, 33% se disseram contra, 67% foram a favor.

Outra pergunta que foi feita pelos entrevistadores foi se o morador já havia sofrido algum transtorno por conta dos paralelepípedos. 37% das pessoas ouvidas disseram ter sofrido quedas, escorregões ou dificuldade para caminhar. 33% não sofreram nenhum problema. 14% derraparam o veículo. 5% sofreram acidentes com o veículo e 8% tiveram outros problemas que não foram discriminados pela pesquisa.

Por fim, os pesquisadores questionaram os moradores sobre a influência do asfaltamento das ruas. 62,1% disseram que isso vai influenciar positivamente os moradores oferecendo mais comodidade e segurança. 10,8% acreditam que o asfaltamento influenciará negativamente o bairro por alterar as características originais. 27,1% disseram que isso é indiferente.