Ação social encaminha dois moradores de rua para tratamento psicológico

Na última sexta-feira, 30, após uma abordagem social de rotina feita pela equipe de assistentes sociais do CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), de Lençóis Paulista, dois homens que se encontravam desabrigados foram encaminhados para tratamento devido à dependência de substâncias psicoativas. Durante a ação, nove pessoas que se mantinham em circunstâncias precárias no ginásio de esportes em construção, localizado ao lado da Adefilp, receberam orientação e oferta para encaminhamentos feitos pelas assistentes, devido à necessidade de limpeza do local.

A abordagem social é um serviço especializado que faz parte da Proteção Social Especial de Média Complexidade, dentro da Política Nacional para a População em Situação de Rua. Segundo a diretora de Assistência e Promoção Social do município, Ana Lúcia Darcie, na sexta-feira, como preconizado pela legislação, as assistentes estiveram no local e orientaram as pessoas que permaneciam ali em condições insalubres a retirarem seus pertences para que fosse feita a limpeza da área em construção.

Após o prazo estabelecido de três horas para que eles retirassem seus pertences do ginásio, com apoio da diretoria de Agricultura e Meio Ambiente, o local foi higienizado e muito lixo retirado. Porém, a Assistência Social garante que nenhum pertence dos ocupantes do espaço foi retirado do local sem autorização, já que tudo foi recolhido após o prazo estabelecido para que reunissem aquilo de que necessitariam.

“Este tipo de abordagem é rotineira e faz parte das incumbências das assistentes do CREAS, que mantém proximidade com essas pessoas que, em sua maioria, têm vínculos rompidos com a família e com a sociedade. O trabalho é sempre para oferecer oportunidades a essas pessoas, seja para que retornem para suas cidades de origem e se reaproximem de suas famílias, seja para tratamento devido à dependência química; jamais para prejudicá-las”, afirmou a diretora.

A diretora reafirmou ainda o perfil humanitário do trabalho que vem sendo realizado, tanto que três homens que estavam no local receberam cobertores doados durante a campanha do agasalho realizada pelo Fundo Social de Solidariedade.

A condição das pessoas em situação de rua é um problema que vem sendo acompanhado pela Administração Municipal, segundo Ana Lúcia, com ações previstas para médio e longo prazos. Entre elas, a possibilidade de criação de uma casa de passagem que abrigue essas pessoas de forma emergencial. A viabilidade financeira é uma dificuldade, de acordo com a diretora, que vem sendo estudada pela Prefeitura. Porém, segundo Ana, o problema da falta de abrigo para pessoas em situação de rua se agravou desde o fechamento da Casa Mãe Piedade, ocorrido oficialmente há quase cinco anos.

“Desde então, nenhuma ação mais contundente foi feita, o que tornou a situação mais delicada, mas estamos atuando para atender essas pessoas de uma forma permanente, para que tenham opções para suas vidas”, concluiu.

Após a ação de sexta-feira, nenhuma outra na mesma área foi realizada pela Prefeitura ou pelas equipes do CREAS.

Deixe uma resposta