Antonieta Muller

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

No dia 16 de fevereiro de 1917, nascia em Lençóis Paulista, MARIA ANTONIETA MULLER. Ela é filha do casal Alberto Giovanetti e Ermelinda Bodini Giovanetti. Em 1914 casou-se com Alcides Muller (Zezé) falecido em 1987. Dessa união nasceram três filhos: Franck Alberto Muller, casado com Soely Muller; Wilson Carlos Muller (Ito) casado com Alice Leite Muller e José Alcides Muller (Cidinho), casado com Maria Vicência Ferreira Muller. Franck e Soely deram à Maria Antonieta dois netos: Francely, casada com Marquinhos Bolonha e Criszinho que atualmente namora a bonita Beatriz Baptistella. Ito e Alice, na mesma medida, presentearam Antonieta com mais dois netos: Frederico, que namora a bela Elizandra Gigioli Vidal e Stefânia casada com Érico Ribeiro. Estes geraram a belíssima Verônica, bisneta de Antonieta. José Alcides e Maria Vicência também deram uma neta à Antonieta: Letícia, casada com Juliano Theodoro. Este casal também deu um bisneto à Antonieta: Cauã que mora na cidade de Avaré com os pais e avós. Dona Antonieta, como é conhecida, sempre esteve envolvida na vida social da cidade.  Quando mais jovem participou de peças teatrais ao lado de Alfredo Capucho, Alberto Paccola, Rubens Pietrarória e outros. Há mais de 70 anos faz papel de Verônica nas procissões religiosas da Semana Santa. Exímia cantora aprendeu a interpretar o canto da Verônica com o saudoso padre Salústio Rodrigues Machado. Ao longo dos últimos  70 anos ela foi a única  desempenhar essa difícil tarefa. Por essa razão, as pessoas a conhecem como Verônica. Em 1974, no casamento de seu filho Ito e Alice ela cantou a Ave Maria ddddd. No casamento de Stefânia, filha de Ito e Alice, ela também interpretou a Ave Maria. Antonieta participou de todos os corais católicos de Lençóis Paulista. Em 1980, junto com Diclesmer Renzo Zafalon, Abílio Campeão, Aparecida Zafalon, Benito Pasquoalini, Diogo Morelli, João Caon, Benedicto Blanco, entre outros, Antonieta comandou o Coral da Capela de São Benedito, na Vila Mamedina. Ainda hoje, apesar dos seus 92 anos, ela tem uma vida ativa, participativa que causa inveja a muitos jovens.
Para se ter uma idéia, todas as segundas-feiras, às  3 da tarde ela organiza a missa no cemitério; às quartas-feiras, das 8 às 9 da manhã, ela vai fazer Adoração do Santíssimo no Santuário da Piedade; às quintas-feiras, às 3 da tarde, missa no Hospital; nas tardes das sextas-feiras, visita os enfermos do hospital, pois ela faz parte da Pastoral da Saúde. Aos sábados, missa na capela São Benedito às 18 horas. E o domingo? Bom… No domingo ela organiza sozinha o almoço para a família. Não permite que ninguém a ajude. Seu filho Ito destaca que a maior alegria da matriarca dos Giovanetti é reunir a família. Para se ter uma idéia  da disposição de dona Antonieta, ela vai ao supermercado todos os dias, mesmo que não tenha que comprar nada, mas ela vai sim lá na Nove de Julho, no mercado do Armandinho Orsi (Supermercado Santa Catarina). Todo santo dia Antonieta faz esse trajeto a pé –  de mais ou menos mil metros para ir e mil para voltar.
No dia 26 de outubro de 2016, aos 99 anos,  ela faleceu. Em homenagem póstuma  o  Monsenhor Carlos José de Oliveira celebrou uma missa de corpo presente. O corpo de Dona Antonieta foi sepultado no mesmo dia, Cemitério Alcides Francisco.