Buscando qualidade em inclusão, Diretoria de Educação faz convênio com a SORRI

Incluir efetivamente a criança que possui necessidades especiais na rede municipal de ensino é o principal objetivo de diversas ações que estão sendo tomadas pela Diretoria de Educação de Lençóis Paulista desde o início de 2017. A mais recente delas foi a contratação da SORRI-Bauru, entidade especializada no atendimento de pessoas com deficiência, para fazer um diagnóstico da situação de cada uma das 170 crianças que hoje frequentam as escolas municipais e que precisam de algum tipo de atenção especial. A diretora Neusa Carone (foto) afirmou que “não basta atender a lei que garante o direito às crianças deficientes de frequentar a escola, é preciso garantir qualidade na inclusão. Para isso precisamos primeiro saber o grau de deficiência dessas crianças, para a partir do diagnóstico, qualificar nossos professores para atender adequadamente esse aluno. Hoje nossas escolas cumprem a lei e recebem esses alunos de braços abertos, mas precisamos fazer mais que isso”.

Em setembro, a diretoria assinou contrato com a SORRI-Bauru e organizou um cronograma de atendimento de Avaliação global para elucidação diagnóstica, realizada por equipe multidisciplinar composta de: médico especialista, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, psicólogos, enfermeiros, com apoio da assistente social, para emissão de laudo diagnóstico e relatório de orientação como apoio pedagógico aos profissionais da educação; além da realização de exames complementares disponíveis na SORRI-Bauru e encaminhamentos para exames complementares não realizados na SORRI-Bauru, bem como avaliações de outras especialidades médicas necessárias ao diagnóstico e realização do teste PEP 3 para os 60 casos com características do espectro autista.

A expectativa é que até o final deste ano todas as 170 crianças tenham passado pelo programa e a Diretoria de Educação tenha em mãos um laudo detalhado sobre a condição de cada criança para que, a partir do ano que vem, seja definida a melhor abordagem educacional para cada caso.

Neusa informou ainda que quando chegou na diretoria encontrou um quadro de muita insegurança de diretores e professores para atender adequadamente essas crianças. “Precisamos entender que os professores prestaram concurso para atender classes regulares e que a grande parte deles não tem especialização para trabalhar com crianças autistas, ou com outro tipo necessidade especial sem deixar de lado as outras crianças que estão na sala, ou fazer o inverso. Contratamos cuidadoras, que fazem a higienização como troca de fraldas e alimentação, e estagiárias para ficar de apoio aos professores em sala de aula”, explicou a diretora.

A diretora também considera fundamental para o sucesso dessa ação o envolvimento da família. “O meu apelo é que a família se una a escola, porque nosso objetivo é acolher da melhor forma possível essa criança e, para isso, nós precisamos que a família esteja do lado da escola, e não contra”, ressaltou Neusa.

O que é a Sorri?

A Sorri é uma entidade que nasceu em Bauru, em 1976, para atender pessoas com deficiência física, intelectual, auditiva, visual e social, a partir de 14 anos de idade e, em especial, aquelas com hanseníase. Hoje o Sistema SORRI conta com oito unidades nos municípios de São Paulo (SORRI-BRASIL e SORRI-SÃO PAULO), Bauru, Campinas, São José dos Campos e Sorocaba, no Estado de São Paulo, Parauapebas, no Estado do Pará e no município de Salvador no Estado da Bahia.

Na área de saúde, a Sorri atende a demanda por serviço especializado do SUS (Sistema Único de Saúde), através da Central de Regulação de Bauru. A entidade também atua na área de educação, Por meio de convênio, a instituição promove a inclusão de crianças e adolescentes com deficiências e/ou necessidades especiais no ensino regular e para tanto realiza avaliação diagnóstica, intervenções de acordo com plano individualizado, apoio técnico especializado às equipes escolares e aos familiares.