Casinha histórica teima em permanecer em pé

história17-casinha

Quem passa por sobre a ponte da avenida Nove de Julho (Rio Lençóis) próximo ao supermercado Jaú Serve, não observa que pouco acima da linha férrea há uma casinha acanhada, quase envolvida pelo matagal. Pelos cálculos de antigos lençoenses, aquela casinha já tem mais de 90 anos. Nessas nove décadas, muitas famílias ali residiram, entre elas  o casal Aurélio de Oliveira e Gabriela Martins Serralvo  Romero. Por ocasião da comemoração do centenário da cidade, aquela casa, ou melhor, a janela azul em destaque na foto, serviu de camarote para dois garotos – um de 8 e outro de 10 anos – acompanharem os festejos de encerramento das festas do centenário de Lençóis Paulista que se deu no pátio onde se encontra hoje a estação rodoviária. Naquela noite 28 de abril de 1958, durante a apresentação de Dircinha Batista, uma das mais famosas cantoras brasileiras de todos os tempos, o lençoense Antonio Turcarelli, (ainda em plena forma)  subiu ao palco e tascou-lhe um longo beijo na face. Foi a maior proeza que um ser mortal poderia fazer naquela altura dos acontecimentos. Algo para ficar marcado para a história.
Os dois garotos que da janela da casinha acompanhavam a tudo, não tinham noção da dimensão  daquele acontecimento. Dona Gabriela, avó dos dois meninos, também não parecia dar o devido valor para a festa que se desenrolava lá fora. Mas, de toda forma, acompanhava tudo com máxima atenção. Um daqueles meninos é exatamente este que está digitando este texto agora, e o outro, um pouco mais novo, é conceituado comerciante na cidade.