Datas significativas

 

 

historia13-datassignif

14 de abril de 1851: José Pedroso do Amaral, solicitou a criação da Sub-delegacia para Lençóis. Só foi atendido em 1857.
5 DE MAIO DE1851: Solicitação de criação de Povoado, feita por José Pedroso do Amaral (pedido não foi atendido).
19 de janeiro de 1857: foi criado o primeiro distrito policial de Lençóis.
28 de abril de 1858: Lençóis foi elevada a categoria de Freguesia pela lei nº 36.
22 de julho de 1858: Elizeu Antunes Cárdia, Fidelles Correa de Moraes, Antonio Martins Siqueira, Antonio Rodrigues de Souza, Ignácio Anselmo de Souza, Felippe José Moreira e Lourenço Antonio da Siqueira fazem doação de terras à Padroeira da Freguesia, Nossa Senhora da Piedade.
15 de junho de 1859: Foi empossado como sub-delegado de Policia da Freguesia de Lençóis o Cel. Joaquim de Oliveira Lima.
9 de maio de 1861: Foi realizado o primeiro batizado em Lençóis Paulista.
26 de fevereiro de 1862: Chega o primeiro padre em Lençóis: Pe. Antonio de Sanct’Anna Ribas Sandin.
25 de abril de 1865: Pela lei nº 90, Lençóis foi elevada à categoria de Vila.
1866: Foi criada a primeira linha postal Botucatu/Lençóis, com a freqüência de três viagens mensais.
18 de junho de 1866: Foi instalada a coletoria estadual em Lençóis, a pedido de José Vieira Simões.
12 de junho de 1866: Instalação da primeira Câmara, composta pelo presidente: Generoso Antonio de Oliveira e os vereadores:  Theodoro Roiz de Lara Campos, José Pereira, Miguel Augusto de Almeida e Estevão Correa de Moraes Bueno.
1867: Era Inspetor de Instrução Pública do Distrito o Padre Antonio de Sanct’Anna Ribas Sandin.
1867: Chegou a Lençóis a primeira professora de Primeiras Letras do sexo feminino, dona Carolina Marque de Almeida.
3 de dezembro de 1867: Registrou-se o 1º assentamento de óbito na Paróchia de Lençóes.
19 de dezembro de 1867: Foi autorizada a instituição do Santíssimo Sacramento na Igreja Matriz de Lençóis.
1868: Chega a Lençóis, Henrique Xavier Gonçalves Benjamin como professor de primeiras letras do sexo masculino.
8 de janeiro de 1868: Aconteceu o primeiro casamento na Matriz Nossa Senhora da Piedade.
1868: Era Inspetor de Instrução Pública da Vila o Padre Carlos José Rodrigues Jalles.
1875: Foi inaugurada a iluminação pública na vila, com lampiões a querosene.
24 de março de 1876: Foi criada na Vila pela lei 33, uma cadeira de primeiras letras para o sexo masculino.
7 de maio de 1877: Lençóis conseguia a sua primeira comarca.
20 de outubro de 1877: Foi instalada a primeira comarca de Lençóis, tendo como primeiro juiz de direito o dr. Joaquim Antonio do Amaral Gurgel e primeiro promotor o Dr. Simão Eugenio de Oliveira Lima.
23 de março de 1878: Pela lei nº 9, foi criada para esta Freguesia uma segunda cadeira de primeiras letras para o sexo feminino.
15 de dezembro de 1880: Foi fundada a Igreja Presbiteriana em Lençóis.
1888: Dom José Magnani, vigário da Paróquia, criou o Gabinete de Leitura União Lençoese.
20 de fevereiro de 1889: Foi instalado o Conselho Municipal de Instrução Pública.
21 de fevereiro de1889: Padre Magnani, presidente do Conselho, pede a criação da escola noturna.
6 de abril de 1889: Chegam a este município os primeiros imigrantes estrangeiros.
1897: Falece o Cel. Joaquim de Oliveira Lima.
19 de agosto de 1898: Chega em Lençóis o primeiro trem.
1899: Pela Lei Nº 635 transfere-se a sede da Comarca de Lençóis para a cidade de Agudos.
7 de fevereiro de 1901 nasce o jornalista e historiador Alexandre Chitto
7 de setembro de 1901: Foi inaugurada neste dia a iluminação pública com gás acetileno.
1906: Foi construído um chafariz conhecido como “Biquinha”, que abasteceu a cidade por muitos anos.
1906: Era inaugurado o primeiro cinema na cidade: O “Cine Ideal” que funcionava em barracão na rua 15 de Novembro, nas proximidades do shoping em construção.
1906: Era fundada pelo maestro Julio Ferrari, no bairro da Rocinha, a Banda Musical “Giuseppe Verdi”.
1908: O Intendente Coronel Virgilio de Oliveira Rocha instalou a rede telefônica na cidade.
22 de abril de 1909: Foi lavrado o primeiro contrato com a empresa Luz e Força  de São Manoel para o fornecimento de energia elétrica em Lençóis.
1909: Nasce a primeira equipe de futebol em Lençóis: “Flor da Mocidade”.
1912: Vem para Lençóis o primeiro automóvel, trazido pelos senhores Pedro Borin e Francisco Fole.
1914: Sob a batuta do professor Armando Madureira, é instalada em Lençóis a primeira turma de escoteiros.
15 de julho de 1916—nasce em São Manoel o ex-prefeito Antonio Lorenzetti Filho
1921: Neste ano, Lençóis conheceu o primeiro aparelho de rádio trazido pelo Padre Salomão Vieira.
14 de junho de 1921: Falece Dom José Magnani.
1924: Construiu-se naquele ano a praça esportiva, hoje Estádio Municipal Archangelo Brega.
1924: Com a extinção da Flor da Mocidade, foi fundada a Associação Atlética Lençoense.
1924: A mando de Benito Mussolini, visita Lençóis o General Pietro Badoglio.
1926: O prefeito Elias de Oliveira Rocha e o presidente da Câmara Alexandre Canova firmaram contrato com o empreiteiro Virgilio Ernel, dotando a cidade de água e esgoto.
6 de fevereiro de 1938: Auxiliado pelos senhores Vicente de Paula Ferraz e Alcides Ferrari, o jornalista e historiador Alexandre Chitto fundava o jornal O Eco, até hoje em circulação.
30 de novembro de 1944: Por determinação de Getulio Vargas, a lei nº 14.334 mudou o nome de Lençóis para Ubirama.
1944: Neste ano foi inaugurado o Hospital Nossa Senhora da Piedade.
24 de dezembro de 1948: Nesta data, pela lei nº 233, nossa cidade voltou a  ser conhecida como Lençóis Paulista.
06 de janeiro de 1951: Era fundada a Rádio Difusora, no ar até hoje prestando grandes serviços à comunidade.
30 de dezembro de 1953: Pela lei nº 2.476, Lençóis Paulista era elevada novamente à categoria de comarca.
10 de março de 1953: Foi inaugurada  a Matriz Nossa Senhora da Piedade, idealizada, construída e inaugurada pelo saudoso Padre Salústio Rodrigues Machado.
10 de março de 1953: Foi feita a intronização da Imagem de Nossa Senhora da Piedade, no altar-mor.
20 de janeiro de 1955: A lei nº 189 criou o Brasão do Município. Desenho de Laudelino de Lima Rolin
25 de janeiro de 1955: Para alegria de todos os lençoenses era instalada, definitivamente, a nossa comarca
23 de abril de 1956 morre o ex-prefeito Virgilio Capoani
28 de abril de 1958: Data do primeiro centenário de Lençóis Paulista. Neste dia foi oficializado o obelisco da cidade – desenho de Paulo Amauri Serralvo.
15 de novembro de 1959: Era fundado por Zanderlite Duclerk Verçosa o jornal Tribuna Lençoense, até hoje em circulação.
19 de abril de 1966: Foi instituída pela lei 773 a Bandeira de Lençóis Paulista. Criação do professor de desenho e ex-vereador de Lençóis, Armando Persin
14 de janeiro de 1971—morre o ex-prefeito Paulo Zillo
28 de abril de 1971— Inaugurada a atual estação rodoviária pelo ex-prefeito Antonio Lorezetti filho
14 de julho de 1986 — morre o escritor lençoense Orígenes Lessa
11 de setembro de 1994 — morre o jornalista e historiador Alexandre Chitto
12 de agosto de 2003 — morre o ex-prefeito Ideval Paccola
5 de outubro de 2008 – A população elege a primeira prefeita da história de Lençóis Paulista.  Izabel Cristina Campanari Lorenzetti foi eleita com mais de 20 mil votos 7 mil a mais do que seu oponente.
4 de outubro de 2010 – Morre aos 90 anos,  Dona Antonia Adélia Cegalla Lorenzetti, esposa do ex-prefeito Antonio Lorenzetti Filho (Tonico).
9 de outubro de 2012 – Morre o ex-prefeito José Prado de Lima (Pradinho)