Defesa Civil faz trabalho preventivo com moradores de áreas de risco

Foto: O presidente da Defesa Civil, capitão Xavier, durante
encontro com agentes comunitários de Saúde

A Comissão de Defesa Civil de Lençóis Paulista, com seu presidente capitão Juliano Xavier; Tenente Franco, comandante do pelotão da PM local; Sidney Aguiar, coordenador técnico do SAAE, e Camila Chaves de Souza, coordenadora da enfermagem da Diretoria Municipal de Saúde, esteve reunida com agentes comunitários de Saúde na tarde de terça-feira, 19, na Câmara Municipal, orientando todos sobre a entrega de panfleto explicativo nas residências cadastradas nas vilas Contente/Baccili, e sobre as condições atuais na bacia do Rio Lençóis, que se estende desde a nascente do rio no município de Agudos seguindo em todo seu curso.

Uma das principais orientações passadas pelo Capitão Xavier aos agentes foi a de livrar a população de risco dos boatos e alarmes falsos. O Capitão explicou que em caso de alerta, a comissão terá o pessoal de plantão para todas as orientações. Mas alguns passos podem ser seguidos mesmo sem a presença de um agente, observando as orientações contidas no panfleto elaborado para comissão e distribuído àqueles que estão em área de risco.

O capitão Xavier foi enfático ao falar sobre o papel da comissão, especialmente sobre o cargo que ocupa na mesma: “O meu papel aqui não é fazer política, é ajudar a salvar as pessoas”, comentou.

Sidney Aguiar disse aos agentes que há muitos comentários falsos que circulam, mas que a população deveria ser informada que a comissão segue com monitoramento constante das condições do rio e das represas existentes ao longo da bacia. Aguiar falou sobre o trabalho preventivo que vem sendo feito, segundo ele pioneiro na região, que é o de baixar o nível das represas para que, em caso de excesso de chuvas, haja espaço para armazenamento da água, evitando o excesso de vazão para o Rio Lençóis: “As sete barragens existentes possuem dispositivo de segurança, o que ajuda amenizar possíveis problemas. Além disso, fazemos um monitoramento online, trabalho preventivo também”, disse Sidney Aguiar, que fez questão de deixar claro que todo trabalho possível vem sendo feito pela Comissão da Defesa Civil, contando inclusive com apoio CGBH-RL – Comitê Gestor da Bacia Hidrográfica do Rio Lençóis, de empresas e voluntários.

A seguir o panfleto com as orientações da comissão distribuído às pessoas que residem em área de risco:

  • DEFESA CIVIL DE LENÇÓIS PAULISTA
  • MORA EM ÁREA COM RISCO DE ALAGAMENTO?
  • ENTÃO NÃO DEIXE DE LER ISSO!
  • Veja o que fazer antes que ocorra a inundação/alagamento!
  • Saiba se você mora em uma área de risco, informe-se junto à Prefeitura Municipal.
  • A partir do dia 1º de dezembro de 2017, ingressamos no período de atenção. É recomendado, a partir deste momento, que os residentes em áreas de risco realizem o deslocamento de bens de valor material ou pessoal considerável para o imóvel de algum conhecido, fora da área de risco. É necessário considerar, principalmente, o grau de dificuldade em remover estes bens num momento de emergência, o que pode se tornar inviável. Em caso de inundação ou alagamento, o Poder Público sempre priorizará a vida, em detrimento ao patrimônio.
  • Vai viajar no período de chuvas, deixe uma cópia da chave com um responsável. Alguém pode precisar entrar na sua casa para retirar suas coisas.
  • Providencie acondicionamento para a remoção rápida de seus bens. Caixas de papelão e tambores plásticos são muito úteis nesses casos e podem permanecer prontos durante o período para o caso de uma evacuação emergencial.
  • Se não tiver condições de remover do imóvel, movimente seus bens mais vulneráveis para o piso superior durante o período.
  • Converse previamente com uma parente ou amigo que possa receber você e seus bens em caso de inundação ou alagamento.
  • Identifique seus bens, para o caso remoção por transporte fornecido pela Defesa Civil. Vai ficar mais fácil localizá-los depois.
  • Caso possível, planeje a remoção de seus bens por conta própria. Seja solidário, deixe os veículos oficiais para quem realmente precisa.
  • Tenha em casa coleiras e caixas de captura para proteção de seus animais de estimação.
  • Botas de borracha com cano longo (galochas) ajudam a evitar o contato, e consequente contaminação, com a água da enchente.

Veja o que fazer caso ocorra uma inundação/alagamento!

  • Priorize a vida. Ela vem sempre em primeiro lugar.
  • Desligue a chave geral de energia do imóvel, inclusive cerca elétrica.
  • Pessoas com dificuldade de locomoção, crianças e idosos devem ser retirados imediatamente da área de enchente. Só depois disso, os bens devem ser retirados.
  • Na impossibilidade de remoção de pessoas, ligue 193 ou procure o Posto de Comando.
  • Na Vila Contente e adjacências, no Salão da Capela Santa Rita.
  • Na região do Parque Paradão e XV, no Grupamento de Bombeiros.
  • No Centro, na sede da ACILPA.
  • Obedeça às orientações dos agentes e autoridades identificadas e uniformizadas.
  • O limite para transitar pela água é a linha do tornozelo e evite o contato da água da inundação/alagamento com a pele, através de botas e luvas;
  • No retorno para casa, utilize cloro ou água sanitária para limpeza de objetos expostos à água suja;
  • Dispense alimentos que tiveram contato com a água da inundação/alagamento;
  • Se houver dúvidas em relação à sua saúde consulte um médico na unidade de saúde mais próxima de sua casa;