Fim de ano aquece vendas de lojas virtuais. Dez dicas para comprar bem

Docente do Senac Bauru dá dicas sobre como comprar pela internet com segurança e garantir seus direitos em caso de atrasos na entrega dos produtos

O mês de dezembro para Leandro Ribeiro Luna, gerente de operações de Hippie Artesanatos, uma loja virtual de artesanato na linha de assessórios, vestuário e decorações, é de aumento e boas expectativas com relação às vendas. Para não falhar com o consumidor e atender a alta no fluxo, vale desde a contratação de pessoal para o atendimento até investimento em qualificação profissional.

Nesse período, o número de visitas ao site cresce até 40 mil, o que gera um aumento médio de 40% nas compras on-line. “Logo, a monitoração dos servidores torna-se uma tarefa vital, pois precisam funcionar plenamente para que não haja interrupção na operação ou no negócio”, explica Leandro.

Aluno da Pós-graduação em Marketing Digital e E-commerce do Senac Bauru, o gerente de operações acredita que fazer uma especialização na área aumentam habilidades e preparam o profissional para enfrentar períodos de grande movimentação on-line.

“Contratamos mais funcionários para fazer o atendimento ao consumidor, reforçamos as orientações com relação à política de trocas e, no caso de atrasos, também criamos um fluxo interno para resolver possíveis problemas com a transportadora de forma mais rápida, como a otimização de rotas”, explica Leandro.

De acordo com Flávio Mangili Ferreira, professor da Pós-graduação em Logística Empresarial do Senac Bauru, as vendas do e-commerce aumentam ano a ano e só no primeiro semestre de 2017 apresentou crescimento de 10,3% em relação a 2016. “No total, são mais de 25 milhões de consumidores ativos comprando pela internet. Com a chegada do Natal e a necessidade de cumprir prazo de entrega, vários aspectos logísticos devem ser gerenciados, como os fornecedores, estoques e transporte”, reforça.

A projeção de vendas no comércio eletrônico para o segundo semestre é positiva: a Ebit, empresa que acompanha a evolução do varejo digital brasileiro, estima que entre julho e dezembro, as vendas aumentem em 12% e 15% na comparação com 2016. No primeiro semestre de 2017, as vendas virtuais faturaram R$ 21 bilhões, um crescimento nominal de 7,5% na comparação com o mesmo período do ano anterior. O setor de moda e acessórios é o que mais se destacou quanto à quantidade de compras feitas on-line, sendo responsável por 14,8% das vendas.

Compre com segurança e confira seus direitos

Para auxiliar os consumidores a comprar com segurança e evitar dor de cabeça nesta época do ano, o professor da pós-graduação do Senac Bauru reuniu 10 dicas importantes. Confira:

  • 1 – Na compra de produto ou contrato de serviço pela internet, o consumidor poderá se arrepender no prazo de sete dias, contados a partir do recebimento do produto ou da assinatura do contrato;
  • 2 – Identificar o fornecedor do site e todos os outros envolvidos na compra virtual, consultando a Receita Federal, por exemplo;
  • 3 – Buscar referências de empresas com amigos ou em bases de reclamações como Sindec (Cadastro Nacional de Reclamações dos Procons), Reclame Aqui, entre outros;
  • 4 – Verificar as características do produto antes de comprar. Analise sua descrição e compare com outras marcas, visitando o site do fabricante para confirmar suas funções;
  • 5 – Comparar preços e condições de pagamento em outras lojas para verificar se os descontos ofertados são reais e se valem a pena;
  • 6 – Tenha software de antivírus e firewall instalados;
  • 7 – Digite o endereço no navegador e evite seguir links recebidos em mensagens de e-mail;
  • 8 – Use conexões seguras para fornecer seus dados pessoais em sites com endereço eletrônico que comece por “https” e que exibam no navegador um ícone em forma de cadeado, colorido e fechado;
  • 9 – Prefira usar aplicativos disponibilizados pela instituição financeira ou loja virtual para realizar as transações em smartphones ou tablets;
  • 10 – Leia a política de privacidade do site e saiba como o fornecedor armazenará e utilizará seus dados pessoais.
  • Ricardo Missão
    ASSESSORIA DE IMPRENSA