Horácio Moretto

O poeta, escultor, pintor, historiador  e escritor Horácio Moretto pertenceu a uma das mais tradicionais e numerosas famílias de Lençóis Paulista. Filho de imigrantes: Antonio Moretto (italiano) e Dolores Martins Moretto (espanhola), Horácio nasceu em Lençóis Paulista em 9 de março de 1920. Concluiu seus estudos em 1942, formando-se contador pela Escola de Comércio Nossa Senhora de Lourdes de Botucatu. Casou-se em 14 de dezembro de 1943 com  Angelina Ciccone Moretto. Em Lençóis Paulista exerceu contabilidade por vários anos, tendo sido responsável pela  escrituração de diversas empresas. Além de contador, foi representante comercial, agenciador de seguros, agricultor, industrial, e por 45 anos foi comerciante na Casa de Móveis Moretto, onde se encontra atualmente as lojas Colombo. Foi diretor do Hospital Nossa Senhora da Piedade, do Ubirama Tênis Clube e da Acilpa (Associação Comercial e Industrial de Lençóis Paulista)  Por  vários anos participou da organização da Facilpa (Feira Agropecuária, Comercial e Industrial de Lençóis Paulista). Foi sócio honorário do Lions Clube de Lençóis Paulista. Lecionou inglês durante três anos na escola de Comércio de Lençóis Paulista.  Foi um dos fundadores do jornal Tribuna Lençoense, em 15 de novembro de 1959. Colaborou com o jornal com  artigos, crônicas, poesias, contos e noticias. Chegou a fazer, com canivete, clichês para ilustrar o jornal. Criou e foi o responsável pelas colunas “Tribunadas” e “A Tribuna Sugere”. Em 1960, iniciou a arte que aproveita as formas naturais das raízes e galhos para representar figuras humanas, animais, aves, objetos, figuras pré-históricas, mitológicas e folclóricas, tendo conseguido formar um fabuloso acervo artístico de raízes, que acabou sendo sucesso em muitas exposições. Seu acervo chegou  a ser notícia na grande mídia. Horácio batizou a sua obra composta por raízes de  “Natureza Artística”
Foi grande admirador das ciências e das artes. Realizou alguns trabalhos de escultura em madeira. Participou de rápido curso de pintura. Produziu poesias, acrósticos, trovas, paródias, desafios, contos, pensamentos, definições, humorismos, cardápios humorísticos e discursos.  Ajudou a escrever o livro “Pensando Alto”, editado por cinco lençoenses em 1979. Escreveu o livro “Colorir Poetando” em 1992. Participou de concursos literários em todo o País, tendo sido premiado em vários deles. Em 1995, na Semana Literária Orígenes Lessa, foi homenageado pela Casa da Cultura e Biblioteca Municipal, com a realização do “Concurso de Contos e Poesias Horácio Moretto”. No mesmo ano foi homenageado pela Câmara de Municipal com a “Ordem do Mérito Lençoense”. Por decreto municipal (2304/92) Horácio Moretto é nome de Praça em Lençóis Paulista, no Jardim Alvorada junto à Matriz de Nossa Senhora Aparecida. Lençoense de coração, comerciante de tradição, ecologista, colecionador de raízes como arte, amigo e conselheiros dos humildes, o jornalista sem carteirinha, o cronista, o poeta Horácio Moretto faleceu em Lençóis Paulista a 19 de abril de 1996, com 76 anos,  deixando esposa e 4 filhos: Milton, casado com Amália Ghirotti Moretto; Jeanice, casada com  José Marinho de Mattos (Zé Rosa); Marlene, casada com Agnaldo D.  Paccola e Horácio, casado com Euricléia Paccola Moretto. Deixou 11 netos e 1 bisneta