Luiz Paccola Sobrinho

luizpaccolasobr

Luiz Paccola Sobrinho nasceu em Lençóis no dia 02/07/1908
Era filho dos imigrantes italianos Antonio Paccola e Luiza Nozella Paccola.
No dia 25 de março de 1932 casou-se com a senhora Délia Pavanato Paccola
com que teve os filhos: Claudete Lelina Paccola viúva de Carlos Frischkorn Junior;
Edson Luiz Paccola viúvo de Mirian Cacciolari Paccola; Laércio José Paccola casado com Ângela Maria Pereira de Araújo Paccola.
Esses filhos lhe deram os seguintes netos: Renata Paccola Frischkorn, filha de Claudete Lelina Paccola e Carlos Frischkorn.; Camila, Gustavo, Guilherme, Lucila, Luciana, Carina e Edson Luiz Paccola Junior, filhos do casal Edson Pacccola e Mirian Cacciolari Paccola e, André e Raquel, filhos do casal  Laércio José  e Ângela Maria Pereira de Araujo Paccola.

Atividades:

Indústrias – Foi sócio da firma  Ângelo Paccola & Irmãos, com indústrias de aguardente de cana e serraria no município.

Comércio –

Inicialmente foi balconista da Casa Paccola (loja de seu tio Luiz Paccola que ainda está em plena atividade sob o comando de Yolanda Paccola).
Foi sócio da firma Comercial Paccola, Moretto  & Cia Ltda (aguardente).
Foi sócio da empresa Comercial Paccola & Cia Ltda em São Paulo (comércio de bebidas).
Foi sócio do antigo Bar Central, instalado onde se encontra hoje as Lojas Colombo. Em duas oportunidades fez parte da diretoria: de 16 de março de 1945 a 20 de janeiro de 1949 com a firma Paccola, Trecenti e & Cia. Essa empresa foi registrada na Junta Comercial sob o número: 93843. Depois foi sócio do mesmo Bar Central  no período de 20 de janeiro de 1949 a 31 de dezembro de 1951. Nesse período a firma registrada sob o número 110626, era J. Paccola & Irmão.
Foi proprietário da Mercearia São Luiz instalada na rua XV de Novembro, 433, telefone 129, caixa postal 101, no centro de Lençóis Paulista.
Em1958 trabalhou com compra e venda de aguardente.

Foi representante comercial:

Sul América Capitalização; foi representante da Dun Bradstreet Limitada, de Serviços Comercias de Cadastro – São Paulo. Foi representante vendedor da Manah S/A Com. E Ind. – Adubos.
No setor agrícola foi co-proprietário da Fazenda Santo Antonio (Cachoeirinha) onde tinha como sócios os irmãos Ângelo Paccola Primo e Outros. Foi proprietário (até 1961) de uma chácara  situada no bairro da Prata, na periferia da cidade.
Foi registrado no Departamento de Indústria Animal da Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo, sob o número 6.340, Identificação pessoal de 3 de julho de 1936.
Em 23 de dezembro de 1955  foi o 12º  sócio da Associação Rural de Lençóis Paulista.
Amigo da natureza, sempre procurou preservar as plantas, tendo sido, pela sua alta e amorosa dedicação, Chefe de Reflorestamento, Praças e Jardins da Prefeitura Municipal de Lençóis Paulista e, nessa função, determinou a criação de um canteiro de produção de mudas vegetais (flores, plantas ornamentais e frutíferas) um pequeno horto municipal para suprir, quase que na totalidade a demanda da época. Além disso, desenvolveu no quintal da própria casa  um canteiro de mudas.
Foi sócio da Cooperativa de Consumo da Zona de Lençóis Paulista, da qual foi gerente comercial no período de 1º de outubro de 1958 a 1º de janeiro de 1966. Foi sócio e gerente da Cooperativa dos Produtores de Aguardente da Zona de Lençóis Paulista. Foi sócio permanente do Tiro ao Vôo Lençoense (CTVL), sob o nº  005 de 26 de outubro de 1938.
Foi sócio fundador  nº 25 do Clube de Caça  e Pesca ”Pouso Alegre” (Lençóis/Macatuba) ação  nº 32 de 15 de maio de 1957. Sócio nº 50 do Ubirama Tênis Clube (UTC).
Sócio nº 50 (de 15/10/1960) do Clube Esportivo Marimbondo.

Esportes:

Praticou, caça, pesca e jogo de bochas.
Em 17 de julho de 1944, obteve do Departamento de Produção Animal, Carteira de Licença de Caça, nº 9309, revalidada em 1945 e 1946.
Em 1945, obteve Alvará de Licença de porte de arma de Caça e Esporte, nº 3303,  da Delegacia Especializada  em Explosivos, Amas e Munições, da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo. A arma foi registrada sob o nº 72628. Em 31 de dezembro de 1948, a mesma espingarda  foi registrada  com o nº 4244.
Em 26 de novembro de 1964, obteve Licença de posse de Arma em Domicílio para as espingardas ELG Belgas, sendo uma de calibre 36, nº C.15 dois canos, oxidados, coronha de madeira, registrada sob o nº 318152. A outra espingarda, calibre 22, tinha um cano apenas, coronha de madeira e foi registrada com numero318214.
Sempre apoiou o esporte amador de sua cidade. Em 1965, nos XVI Jogos Regionais da Sorocabana, em Assis, participou como cozinheiro do grupo. Nos ano seguintes, (1966 e 1967) em Ourinhos  e Presidente Prudente, também foi inscrito como cozinheiro.
Católico praticante, envolveu-se em  todos os eventos religiosos da cidade, participando inclusive da construção da capela de Santo Antonio do bairro Corvo Branco, quando padre Salústio Rodrigues Machado era pároco  da cidade.
Luiz Paccola Sobrinho faleceu no dia 27 de julho de 1996 deixando saudade ao vasto círculo de amigos que conquistou ao longo de sua vida. Seu nome está perpetuado em uma rua no Bairro Monte Azul onde outrora era sua fazenda.

______________________________________
Para celebrar os 80 anos de vida de Luiz Paccola Sobrinho, o grande escritor, jornalista, pensador, artista plástico e ecultor lençoense  Horácio Moretto escreveu esta justa homenagem. Leia a íntegra do texto feito por Horácio Moretto.:

HOMENAGEM
A QUEM EXERCEU TANTAS ATIVIDADES, SEM,
JAMAIS, DESVIAR-SE DO CONCRETO.

***
Analisando a vida de um lençoense, hoje octogenário, concluímos que viria bem  a calhar, se alguém lhes prestasse justa homenagem. Por isso, propusemo-nos a coligir os dados indispensáveis, justificativos que viessem lembrar a sua participação  em muitas atividades, em nosso município, no trabalho, em diferentes ramos, abrangendo agricultura, indústria, comércio, representações, gerenciamentos, esportes, religião, vida social e associativa.
Não desejamos que seja uma homenagem nossa, particular, individual, de amigo de longos anos, como resultado de uma convivência entre duas famílias tradicionais, numerosas, ligadas por inúmeros laços de parentesco, que as tornam, praticamente, uma só família: Paccola /Moretto.
Queremos, isto sim,  que seja uma justa homenagem da comunidade lençoense,  a um seu cidadão que, na vida, exerceu tantas atividades, sem, jamais, desviar-se do concreto.
Sirva este nosso trabalho de memorização aos seus amigos, que com ele conviveram e convivem, os que já o conhecem, e de informativo às gerações mais recentes e aos neo-lençoenses, que passaram a integrar a nossa comunidade.

Temos certeza de que, conhecendo as informações que procuramos aqui transmitir, todos serão concordes nesta

HONRA AO MÉRITO

Lençóis Paulista, 19 de setembro de 1988.
Horácio Moretto