Manoel Cimó

manuel-cimo

Nascido em 16 de junho de 1923, em Alfredo Guedes, o então jovem Manoel Cimó começou sua vida de trabalho muito cedo. Filho de Paulo Cimó e de Concetta Chincotte Cimó, com 15 anos, já trabalhava com seu tio Chico Cimó numa sapataria, também em Alfredo Guedes, onde aprendeu a profissão de sapateiro.
Com 17 anos, Manoel começava a trabalhar na beneficiadora Algodão da antiga empresa José Zillo, Orsi e Cia. Essa empresa estava instalada onde se encontra hoje supermercado Jaú Serve, na esquina das avenidas Nove de de Julho com Vinte e Cinco de Janeiro.
Nessa época, seu irmão mais velho, Salvador Cimó trabalhava na antiga Estrada de Ferro Sorocabana, um dos únicos meios de transporte da nossa região, Com seu irmão Salvador, acabou aprendendo muita coisa. Até mesmo o telégrafo Manoel conseguiu aprender a operar com o irmão mais velho.
Com 19 anos, Manoel saiu da beneficiadora e se empregou na casa Paccola que nesse tempo chamava-se S/A Luiz Paccola Comércio e Indústria. Ainda hoje existe a Casa Paccola, na rua 15 de Novembro.
Em 1943, aos 20 anos, Manoel Cimó, se alistou ao exército, no Quartel da Cidade de Três Lagoas MT, já que naquele tempo não havia quartéis na região. Ele foi relacionado no 33º Batalhão de Infantaria. Tudo isso, em plena 2º guerra mundial, com possibilidade inclusive de até ser enviado para as frentes de batalha. Antes de receber baixa no exército, seu comandante o 2º Ten. Milton Sebastião de Oliveira Victório, fez-lhe uma proposta, para que permanecesse no exército trabalhando como telegrafista. As condições expostas pelo oficial não agradaram a Manoel Cimó que acabou deixando a farda.
Ao deixar o exército, em 1947, começou a trabalhar na agência Chevrolet, que tinha como razão social “Zillo Capoani Cia Ltda. Essa empresa ficava na rua a Rua 15 de novembro, hoje o Shoping.
Manoel Cimó, casou-se no dia 04/de fevereiro de1950, com Sta. Erce Capelari. Naquele tempo a vida era muito difícil. Para sustentar a casa, além de trabalhar na agência Capoani, Manoel também fazia bicos de porteiro no clube (hoje U.T.C).
Em 17 de Novembro de 1950, nasce Glória, sua primeira filha.
Entre os anos de 1950 e 1957 , para ajudar no pagamento de consultas que o então médico Dr. Antonio Tedesco fazia para seu pai que estava muito doente, Manoel trabalhava consertando mesas, pintava geladeira, lavava e polia carros, entre outras atividades. Manoel sempre trabalhou para ajudar seu pai a sustentar os outros filhos, tanto que, quando se casou, não conseguiu tirar fotos de seu próprio casamento.
Em 05 Agosto 1957 seu pai falece, e em 15 de setembro do mesmo ano, nasce Paulo, seu segundo filho.
Tentando tomar outro rumo em sua vida, em 1961 ele mudou-se com a família para Santa Catarina, na cidade de Xaxim, para tornar-se sócio de Domingos Lunardi, numa loja de auto peças que foi fundada em 12/04/1962 com o nome de Lunardi e Cimó e Cia Ltda, que se situava na rua Bento Gonçalves s/n
Em Xaxim, nasce Francisco, seu terceiro filho, em 22 de Dezembro de 1964.
Lá permaneceu durante 6 anos, e então em 1967, voltou para Lençóis.
Em Lençóis fundou em 10/08/1967, a loja Cimó e Cia Ltda, que ficava na rua Ignácio Anselmo n º 120, em prédio que pertencia a Hiran Garrido, ex-diretor do SAAE.
Este estabelecimento comercial tinha como proprietários, Manoel Cimó, seu cunhado José Quadrado, e o antigo prefeito de Lençóis Paulista, José Salustiano de Oliveira, que tinha o apelido de Zé Cocô. O estabelecimento passou por várias fases. Com a saída de Zé Cocô, continuou a sociedade com Zé Quadrado mais alguns anos até a saída dele também.
Obstinado, Manoel continuou com seu objetivo de sempre ir em frente. Dotado de espírito empreendedor, comprou um prédio na rua Manoel Amâncio, esquina com Av. 25 de janeiro, onde  antigamente funcionava a antiga Disimag. Naquela esquina ele construiu uma loja moderna que até hoje está em atividade sob o comando de seus três filhos.
Manoel faleceu no dia 02/01/1995, com 72 anos. Deixou a esposa dona. Erce,
os filhos, Glória, Paulo e Francisco, o genro Felício e as noras Marli e Ângela.
Deixou também os netos, Vanessa, Letícia, Vinicius, Tiago, Jéssica e Leon, netos esses que levarão seu honrado nome para muitos anos à frente. Manoel Cimó é nome de rua em Lençóis Paulista. Em homenagem ao patriarca da família, em 2009 a prefeitura atendeu a um pedido de seus filhos, e seu nome está merecidamente perpetuado em uma via pública da cidade.

(Colaborou Chico Cimó, filho de Neco Cimó)