Ocupantes deixam campo de malha no Caju após ação do CREAS

Após uma abordagem social feita pelos profissionais do CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), ligado a diretoria de Assistência e Promoção Social, foi desocupada a área em torno da cancha de malha do Jardim Caju, local que vinha sendo usado como moradia provisória por algumas pessoas que se instalaram ali, e que será utilizado para as competições dos Jogos Regionais. Dois homens que permaneciam no local se dispuseram e foram encaminhados para tratamento por uso de substâncias psicoativas através do CRAS.

Segundo levantamento da equipe que fez a abordagem, formada por assistentes sociais e um psicólogo, a maioria dos integrantes que permaneciam no local tem familiares no próprio bairro. Porém, no espaço estavam instalados fogão a gás, cama e um pequeno armário para acondicionar pertences. Também havia uma quantidade significativa de roupas amontoadas, em meio a embalagens de produtos alimentícios, restos de alimentos em decomposição, invólucros de medicamentos e vestígios de uso frequente de álcool e outras drogas, materializado por frascos de bebidas e isqueiros.

“A equipe do CREAS, adotando orientações da diretoria, além de realizar o atendimento de rotina aos ocupantes, iniciou um processo de negociação para desocuparem o local e retirarem os seus pertences. Foi oferecido também atendimento psicológico”, explicou o diretor Ney Góes.

O primeiro contato foi feito na segunda-feira, 17, depois de três dias de negociação. Na quinta-feira, 20, os ocupantes do espaço retiraram seus pertences, que foram acomodados na casa de familiares sem a necessidade da interferência da assistência.

“A diretoria tomou todas as medidas possíveis para negociar a desocupação do local, bem como a remoção dos pertences ali deixados e encaminhou dois dos ocupantes para tratamento, cumprindo o seu papel”, concluiu o diretor.

A partir da sexta-feira, 21, a diretoria de Meio Ambiente marcou limpeza do local.

Deixe uma resposta