Padre Salústio

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Padre Salústio Rodrigues Machado nasceu no dia 3 de junho de 1897, em Laranjal Paulista. Quando seminarista em companhia de Dom Lúcio, Bispo de Botucatu, ele visitava as paróquias da região atendidas  pela Diocese e muitas vezes vinha a Lençóis Paulista onde conquistou muitos amigos e admiradores. Ordenou-se padre em 1920 em Botucatu/SP. Em 1921, foi incumbido de dirigir a paróquia de Bocayuva, hoje Macatuba. Na vizinha cidade ele ergueu a matriz de Santo Antonio. Depois padre Salústio voltou para Botucatu, onde exerceu várias funções na igreja. Em 1924, ainda em Botucatu, foi trabalhar na paróquia da Vila dos Lavradores e depois pertenceu à Cura da Sé da Diocese, tendo em 1929 iniciado a construção da Catedral.  Padre Salústio foi diretor do Ginásio Nossa Senhora de Lourdes e Procurador Geral dos Vigários de Mitra. Em seguida foi vigário em Avaré onde construiu a majestosa matriz,  e fundado o Instituto de Instrução Sede Sapientie.
No dia 1º de janeiro de 1939, Padre Salústio assumia a paróquia Nossa Senhora da Piedade em Lençóis Paulista. Pelo espaço de 16 anos ele se dedicou não somente aos assuntos relacionados à Igreja, mas a todos os segmentos da cidade. Com a comissão composta pelos senhores Lídio Bosi e Francisco Radicchi construiu a nova Igreja Matriz, a qual teve a felicidade de inaugurar dois anos antes da sua morte. Ele faleceu em 5 de julho de 1955.
Dotado de um dinamismo ímpar, Padre Salústio reergueu a religião em Lençóis Paulista. Conta-se que ele era muito festeiro e por causa disso realizava grandes festas no bairro Corvo Branco.
Padre Salústio batalhou muito em prol da assistência, da instrução e da grandeza de Lençóis Paulista. Contribuiu fortemente pela emancipação jurídica lençoense, a criação da comarca. Foi amigo assíduo e colaborador da imprensa local, que mesmo hospitalizado em Botucatu, enviava suas apreciáveis colaborações, sobretudo para ao jornal O Eco, o único que circulava naquele tempo. Padre Salústio faleceu no dia 5 de julho de 1955 e 16  anos depois seus restos mortais foram trazidos para Lençóis Paulista e sepultados novamente na Igreja Matriz. A comunidade católica teve oportunidade de mais uma vez render homenagens póstumas ao saudoso padre.

Fonte: Lençóis Paulista, Ontem e Hoje