Para qualificar profissionais, Educação realiza palestra sobre autismo

Na foto: Maria Elisa fala sobre autismo para pais, professores e profissionais que trabalham com educação especial em Lençóis Paulista

A Diretoria de Educação de Lençóis Paulista promoveu nos dias 4 e 5 de outubro uma palestra para tratar do autismo. Participaram da formação, país, professores, diretores de escolas, integrantes da Apae, Projeto Vem Ser e GAALP, entre outros profissionais que atendem crianças com autismo. A ação faz parte de um programa municipal para incluir efetivamente essas crianças na rede pública de ensino e também na sociedade como um todo. “Hoje podemos dizer que é um dia histórico. Porque com essa palestra, que faz parte de uma série de ações que estamos desenvolvendo, como o atendimento de todas as nossas crianças com deficiência pela Sorri-Bauru, estamos dando um enorme passo na direção da efetiva inclusão dessas crianças”, disse a Diretora de Educação, Neusa Carone, na abertura do evento.

A palestra foi ministrada por Maria Elisa Granchi Fonseca, que é psicóloga e arteterapeuta, mestre em Educação Especial pela UFSCAR, TEACCH Practitioneer pela University of North Carolina, nos Estados Unidos, Coordenadora do CEDAP de Pirassununga e Coordenadora dos Programas de Autismo e Políticas de Inclusão do INFOCCO. O tema da palestra, que foi dividido em dois dias, das 8h às 17h, por conta da complexidade do assunto, foi “Falando de Autismo – Fundamentos do modelo TEACCH para o atendimento da pessoa com autismo”.

“Em primeiro lugar, a importância desse evento é a oportunidade da agente refletir sobre o diagnóstico do autismo, os efeitos do autismo nas crianças e o que a gente pode fazer com isso. Em segundo lugar, eu vou apresentar uma proposta de intervenção que é o modelo TEACCH, que é uma reunião de serviços, para que nós possamos refletir, já que nós temos essa clientela, sobre o que tem de mais moderno para atender essas pessoas”, declarou Maria Elisa. “O papel da escola não é socializar. O papel da sociedade é socializar. A criança tem que ir para escola para aprender coisas e exite na literatura um monte de ferramentas para ajudar os professores a alcançar esse objetivo com esses meninos e meninas”, completou.

“Nós estamos desenvolvendo em Lençóis Paulista toda uma iniciativa para fazer com que a inclusão, que foi imposta para as escolas por meio de lei, seja algo realmente efetivo. Nós temos sim que trazer todas as crianças com alguma necessidade especial para o convívio da escola, mas precisamos saber como fazer isso. Nós só precisamos ter o conhecimento, porque o amor, a vontade de acolher, a vontade fazer com que essas crianças aprendam está presente no coração dos professores, diretores, monitores e todos que estão envolvidos com essa questão na rede municipal”, declarou a diretora Neusa Carone.