Pastora que quebrou santa concede entrevista e pede desculpas

A entrevista feita com a irmã e pastora Zelia na manhã desta quinta-feira (12) repercutiu em todo o Brasil e agência do Mundo. A pastora recebeu os repórteres Cristiano Alves e César Jr da Rádio Municipalista e Site Agência14News quando pediu desculpas pelo vídeo feito, mas não por ter quebrado a santa, dizendo que fez isso quando orava para uma mulher.
“Não foi essa minha intenção. Eu sigo um Deus que é vivo e a minha intenção naquela hora não era de ofender nem ganhar mídia sobre isso. Peço perdão pelo vídeo. Não era minha intenção que o vídeo fosse ter tudo isso que aconteceu. Eu oro para resgatar almas das pessoas que me ligam. Não era essa minha intenção, pois eu prego um Deus vivo. Mais uma vez pelo vídeo eu peço perdão. Como diz Deuteronômio 5:8, não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra”, disse a pastora de uma igreja evangélica.
O vídeo da mulher quebrando Nossa Senhora Aparecida – que é referência para os católicos – tinha sido antes alvo de muitas reportagens e polêmicas.
Durante a reportagem e entrevista ao vivo o padre Emerson Anizi também falou sobre o caso dizendo que essa atitude era de fundamentalismo religioso. “Nós não temos nada nessa questão de perdoar. Não existe um rancor em cima disso. O que quero deixar claro e sempre afirmo, é que o nosso relacionamento com as igrejas evangélicas é sempre muito tranquilho. Pelo que percebi, isso é um fato isolado e pelo que acompanhei, ela se arrepende pelo vídeo e não pelo ato em si. Então eu também não posso julgar nada que a fé que ela acredita é a fé que ela segue. O que me entristece é o fundamentalismo. Mas em relação ao perdão, eu não guardo nada com relação a isso. Eu respeito a fé dela. Entre o que ela faz ou que deixa de fazer, é a fé dela e eu não posso julgá-la. O que me entristece é uma ofensa diretamente com uma fé e uma vida religiosa”.

Antes o conselho dos pastores tinha se manifestado sobre o caso.

O Conselho dos Pastores enviou nota: “Venho por meio desta nota afirmar que o Conselho de Pastores da Cidade de Botucatu não esteve envolvido e nem apoia nenhuma prática de intolerância religiosa. Fazendo dessa nota um pedido de perdão aos nossos irmãos e amigos católicos que se sentiram ofendidos com o vídeo de uma prática isolada que está circulando nas redes sociais. Seguimos em pregar as boas novas de Jesus Cristo o Salvador de acordo com as sagradas escrituras preservando acima de tudo o amor é respeitado ao próximo”, informou em nota assinada pelo Missionário Paulo Cruz Secretário do Conselho de Pastores de Botucatu.

A Igreja Católica também tinha falado sobre o tema.

A Arquidiocese da Igreja Católica de Botucatu foi procurada pelo Agência14News para comentar o assunto.

O padre Emerson Rogério Anizi disse que assistiu o vídeo e ficou surpreso com a atitude mostrada no mesmo, “pois sempre tivemos um relacionamento tranquilo com as denominações evangélicas de nossa cidade e certamente este ato foi isolado manifestando uma ignorância teológica e doutrinal inclusive, além da falta de respeito”.
Ele completa: “Nosso diálogo sempre foi tranquilo, inclusive temos uma semana por ano, denominada semana da Unidade entre os cristãos, onde celebramos juntos e buscamos pontos comuns para que possamos manter o bom relacionamento. Além do fato que nós católicos não adoramos “imagens”, mas sim veneramos a vida testemunhada de tal pessoa, que na sua humanidade soube praticar o desafio do amor e com o exemplo deste ser humano nos torna visível a possibilidade também de nos esforçarmos para vivenciar o desafio cristão; por isso adorar somente a Deus…os santos veneramos e admiramos o testemunho de vida de cada um”, disse o padre Emerson Anizi.
A entrevista feita pela Rádio Municipalista e Site Agência14News repercutiu com pedidos para usar o material de agências como Folha de São Paulo, Estadão, Uol e TVs. Na mesma manhã da postagem da matéria o vídeo com a entrevista teve 100 mil visualizações.

 

Fontes: (Do Agência14News e Rádio Municipalista).

Deixe uma resposta