Vigilância Epidemiológica registra aumento de casos de conjuntivite na cidade

O Grupo de Vigilância Epidemiólogica (GVE) da Diretoria Municipal de Saúde tem registrado aumento significativo nos casos de conjuntivite em Lençóis Paulista. De acordo com Adriana Santana, enfermeira do GVE, os casos são notificados semanalmente à Vigilância pelas unidades básicas, UPA, CMU e Hospital. Pelas notificações recebidas pelo GVE, na semana número 7 (11 a 17/02/18) foram registrados 7 casos; com salto para 13 na semana número 8 (18 a 24/02/18), caindo para 11 na semana número 9 (25/02 a 03/03/18); mas com salto considerável na semana número 10 (4 a 10/03/18), semana passada, com 53 casos registrados. Mas como identificar conjuntivite? A conjuntivite viral caracteriza-se por olhos avermelhados, lacrimejamento, pálpebras inchadas e avermelhadas, secreção esbranquiçada em pouca quantidade, sensação de areia nos olhos, e com duração de aproximadamente 15 dias até a evolução para cura. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, especialmente por objetos contaminados. Por isso, sugere-se que a pessoa com conjuntivite viral aguda fique afastada por pelos menos sete dias dos ambientes coletivos e intensifique os cuidados de higiene pessoal, como lavar com frequência as mãos e o rosto com água e sabão; evitar coçar os olhos; usar, quando possível, lenços e toalhas descartáveis e/ou individuais; utilizar travesseiros individuais; limpar com as superfícies e objetos que foram tocadas por pessoas com conjuntivite com álcool 70%.

Com agir em caso de conjuntivite?

  • Procurar um serviço de saúde para diagnóstico e orientações, quanto ao tratamento e controle.
  • Realizar compressas geladas com água fervida ou filtrada gelada, água destilada ou soro fisiológico;
  • Utilizar óculos de sol para melhorar a queixa de fotofobia (aumento de sensibilidade à luz).
  • Lavar frequente mãos; intensificar os cuidados de higiene pessoal.
  • Evitar coçar os olhos para diminuição da irritação ocular e uma possível contaminação secundária.
  • Evitar ambientes de aglomeração de pessoas, devido a disseminação do vírus.