Morre Valdir Espinosa aos 72 anos após cirurgias no intestino

Morreu, na manhã de hoje (27), Valdir Espinosa, ex-jogador e treinador brasileiro. Ele tinha 72 anos e fez seu último trabalho foi no Botafogo, clube em que ocupou o cargo de gerente de futebol desde dezembro do ano passado. Espinosa havia se licenciado no último dia 14 justamente para a realização da cirurgia na na região abdominal. Após o procedimento, porém, o quadro de saúde apresentou uma piora.

Nascido em Porto Alegre, Espinosa começou a carreira no Grêmio. Ele também defendeu CSA, Esportivo e Vitória como jogador antes de se aposentar dos gramados. No cargo de treinador, passou por diversos grandes clubes do Brasil e também esteve no comando de Al-Hilal, da Arábia Saudita, Cerro Porteño, do Paraguai, Tokyo Verdy, do Japão, e Las Vegas City, dos Estados Unidos.

Espinosa ganhou maior identificação no Grêmio e no Botafogo. No Tricolor gaúcho, foi o técnico da conquista da Libertadores e do Mundial de 1983. Além disso, era o coordenador técnico na época que a equipe levou a Copa do Brasil em 2016. No Alvinegro, foi o treinador que levantou a taça do Campeonato Carioca de 1989, garantindo o título que tirou a equipe de General Severiano de uma fila de 21 anos sem chegar ao topo do pódio.

Entre os anos de 2008 e 2010, Espinosa também chegou a atuar como comentarista do Grupo Globo. Pouco depois, criou um canal no YouTube em que falava sobre futebol e tática.

Na sala de troféus de Espinosa, há ainda o Campeonato Cearense de 1980, com o Ceará, o Campeonato Paranaense de 1981, com o Londrina, Campeonato Gaúcho de 1986, com o Grêmio, o Campeonato Saudita de 1985, com o Al-Hilal, o Campeonato Paraguaio de 1987 e 1992, com o Cerro, o Supercampeonato Paranaense de Futebol de 2002, com o Athletico Paranaense, e o Campeonato Brasiliense de 2005, com o Brasiliense. (Fonte: Agência Brasil).

 

.... . .