Anemia não é tudo igual

No Junho Laranja, mês de conscientização sobre a anemia e a leucemia, hematologista explica as diferenças

As estimativas apontam que 10% população apresentam anemia em algum momento da vida. Nas crianças entre 6 e 23 meses, a incidência é maior, chegando a prevalência de 18%, segundo estudo da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Apesar da condição ser bastante comum, merece atenção porque anemia é a diminuição da quantidade de glóbulos vermelhos, as hemácias, no sangue ou a diminuição da hemoglobina, que fica dentro da hemácias, e é responsável pelo transporte de oxigênio a todas as células do corpo. Sem oxigenação suficiente, a pessoa sente pode sentir cansaço, fraqueza, tontura e até desmaio. Além disso, anemia não é tudo igual, alerta Daniel Ditzel dos Santos, médico hematologista do Grupo São Francisco, que integra o Sistema Hapvida.

E este mês, no Junho Laranja, é o momento de conscientização sobre a anemia e a leucemia. São quatro tipos da anemia: as causadas por falta de nutrientes na alimentação; as hereditárias (anemia falciforme e a talassemia); as causadas por doenças crônicas e as provocadas por doenças autoimunes ou problemas na medula óssea. “A maioria das doenças pode causar anemia. Um simples hemograma já nos dá uma boa ideia da causa. Já a talassemia e a anemia falciforme se manifestam desde o nascimento e aparecem no Teste do Pezinho”, explica o hematologista.

É importante estar atendo aos sintomas, fazer o diagnóstico e o tratamento. “A anemia pode ser aguda e, dependendo da intensidade, pode causar sintomas como desmaio, tontura, cansaço aos esforços e palidez. Já as crônicas, como têm instalação mais lenta, podem apresentar poucos sintomas, de acordo com a causa. Entre eles estão cansaço, queda de cabelo, unhas quebradiças, dor no corpo, gostos alimentares estranhos, como desejo de comer terra ou gelo”, comenta o médico.

Para diferenciar o tipo e descobrir a causa, a indicação é exame de sangue e levantamento do histórico médico do paciente, além de um exame físico. As vitaminas e suplementos são importantes no tratamento da anemia, mas a reposição precisa ser sempre guiada por exames laboratoriais e com o tratamento da doença de base, ressalta Daniel Ditzel dos Santos. Receitas caseiras, como gemada com ovo de pata, suco de beterraba e bife de fígado, ricas em vitaminas, são bem-vindas, mas em caso de sintomas de anemia é necessário consultar um médico especialista e realizar exames para identificar a causa. Para, então, tratar de forma adequada e na dose e quantidade certa do nutriente em falta, acrescenta.

 

Sobre o Sistema Hapvida

Com mais de 7,1 milhões de clientes, o Sistema Hapvida hoje se posiciona como um dos maiores sistemas de saúde suplementar do Brasil presente em todas as regiões do país, gerando emprego e renda para a sociedade. Fazem parte do Sistema as operadoras do Grupo São Francisco, RN Saúde, Medical, Grupo São José Saúde, Grupo Promed além da operadora Hapvida e da healthtech Maida. Atua com mais de 37 mil colaboradores diretos envolvidos na operação, mais de 15 mil médicos e mais de 15 mil dentistas. Os números superlativos mostram o sucesso de uma estratégia baseada na gestão direta da operação e nos constantes investimentos: atualmente são 47 hospitais, 201 clínicas médicas, 45 prontos atendimentos, 173 centros de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial.

.... . .