Bolsonaro segue na UTI e fará nova cirurgia de grande porte, diz hospital

Ainda de acordo com o hospital, Bolsonaro permanece sem sinais de infecção, recebendo o suporte clínico, cuidado de fisioterapia respiratória e motora, e alimentação por soro. O candidato Jair Bolsonaro (PSL) permanece internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do hospital Albert Einstein, no Morumbi, bairro da zona sul de São Paulo, em estado grave. Boletim médico divulgado às 10h07 desta segunda-feira (10), aponta que “será necessária uma nova cirurgia de grande porte posteriormente, a fim de reconstruir o trânsito intestinal e retirar a bolsa de colostomia”.
“O paciente permanece ainda com sonda gástrica aberta e em íleo paralítico (paralisia intestinal), que ocorre habitualmente depois de grandes cirurgias e traumas abdominais. Ontem, havia uma movimentação intestinal ainda incipiente e que persiste do mesmo modo hoje”, aponta o boletim médico.
Ainda de acordo com o hospital, Bolsonaro permanece sem sinais de infecção, recebendo o suporte clínico, cuidado de fisioterapia respiratória e motora, e alimentação por soro.
O hospital Albert Einstein informou que, enquanto o candidato estiver internado, serão divulgados boletins sobre o estado de saúde dele todos os dias, às 10h e às 18h. A equipe médica responsável é formada pelo cirurgião Antônio Luiz Macedo e o clínico e cardiologista Leandro Santini Echenique.
Na noite de quinta-feira (6), após ter sido esfaqueado, Bolsonaro foi levado à Santa Casa de Juiz de Fora, onde foi operado. A perfuração deixou lesões graves em órgãos intra-abdominais. Além da lesão no intestino grosso, Bolsonaro teve três perfurações no intestino delgado.
Segundo a diretora técnica da Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora, Eunice Dantas, o candidato perdeu quase metade do sangue do corpo. “Um homem adulto como ele tem entre cinco e cinco litros e meio”, disse.
De acordo com o UOL, a médica apontou que por uma questão de centímetros Bolsonaro não foi golpeado em uma região mais complicada. “Foi por pouco. Se ele não chegasse no hospital naquele momento, ele poderia ter morrido. Foram quatro bolsas de sangue para ajudá-lo”, disse.(Portal T5)

Leia mais

Leia outras notícias

ESPORTES POLÍCIA CULTURA
POLÍTICA NACIONAL INTERNACIONAL

 



.... . .