Brasão das Armas

historia10-brasao
Prefeitura Municipal de Lençóis Paulista, 20 de Janeiro de 1955
Virgilio Capoani—Prefeito Municipal
Evaristo Canova—Secretário
A Câmara Municipal de Lençóis Paulista, no uso de suas atribuições legais, decreta e eu promulgo a seguinte Lei: 189.
ARTIGO 12 – O Município de Lençóis Paulista, terá brasão de armas próprio.
ARTIGO 2.0 – Fica adotado como brasão de armas da cidade e Município de Lençóis Paulista, o brasão ideado pelo Prof. Laudelino de Lima Rolim, cidadão itapetiningano, aqui radicado, descrito e justificado pela seguinte forma:
DESCRIÇÃO HERÁLDICA: – Escudo redondo, português, hispânico ou clássico.
ESQUARTELADO – Separando os quartéis, uma cruz romana, retilínea, azul celeste.
1.0 – de prata, com um archote de ouro, empunhada por uma mão viril, de sua cor;
22 – de ouro, com um pé de cana-de-açúcar de sua cor;
3,0 – de branco com o mapa do Estado de São Paulo, em vermelho, e sobrepostas seis linhas sinuosas em azul;
42 – de vermelho, com uma roda de engrenagem e cabeça com capacete alado, em amarelo sombreado;
COROA MURAL: – Lavrada de ouro, privativa das municipalidades, de quatro torres e portas.
DIVISA: – “PRO DEO. PRO PATRIA” (Por Deus, Pela Pátria) de prata num listel vermelho.
MEMENTO JUSTIFICATIVO – O escudo redondo, também conhecido como português ou hispânico, ou ainda clássico, foi escolhido para solidarizar-se com o tipo já tradicional para que todas as cidades, não só de São Paulo, como de outros pontos do Brasil, filiando-se assim, às origens de nossa formação. A cruz romana retilínea, azul celeste, que divisa os quartéis, simboliza em primeiro plano a fé cristã dos lençoenses sempre uníssono e inalteráveis em sua crença religiosa. O céu azul-celeste, lembra o nosso céu brasileiro e também as esperanças de todos numa vida celestial. O archote de ouro, empunhado por uma mão viril, no primeiro quartel, símbolo heráldico do saber, das luzes e do progresso, evoca nossas escolas, nossa atividade espiritual e os altos ideais dos lençoenses no amor à sua terra; e no branco de prata do campo dêste quartel a pureza de seus sentimentos.
Um pé de cana-de-açúcar ao natural, no campo amarelo ouro do segundo quartel, caracteriza o elemento básico da agricultura e do povoamento de Lençóis Paulista.
Graças a cana-de-açúcar o Município ocupa posição de destaque no conjunto dos grandes centros do Estado de São Paulo. O amarelo ouro do campo lembra a riqueza que representa a cana-de-açúcar para o Município, para São Paulo e para o Brasil.
O Mapa do Estado de São Paulo, vermelho em campo branco, e sobrepostas, seis linhas sinuosas, azuis, no terceiro quartel, elucida a origem de Lençóis Paulista, cujo histórico é o seguinte: – “Uns fazem crer que o nome de Lençóis Paulista lhe veio da grande quantidade de capim “Favorito” que no século XIX, cobria as extensões baixas; outros ao invés dizem que os excursionistas primitivos embateram-se, com uma grandiosa florada da gabirobal, que se estendia, de modo surpreendente, pelos campos, tomando aspecto de um colossal lençol”.
Há ainda quem diga, aliás, o que é mais certo, que um dos tributârios do rio Tietê, o atual Lençóis, que nasce na Serra dos Agudos, desembocando naquele rio, formava lençóis brancos de espuma. Os excursionistas, que faziam o trajeto fluvial do Tieté a Goiás, chegando ao rio Lençóis, diziam: – Chegamos ao rio dos Lençóis. Mais tarde o aventureiro Francisco Alves Pereira, subindo o rio veio dar com esta região, batizando-a com o nome que trazia das margens do Tietê, isto é, Lençóis. E hoje, depois, de haver possuído o nome do Ubirama, que na língua guarani, significa “Terra da Cana”, esta cidade volta a possuir o nome primitivo, diferenciando do Lençóis baiano, pela acrescentação da palavra “Paulista”, justificando o seu Estado, o glorioso São Paulo que é representado em vermelho, significando o sangue dos bandeirantes, derramado em prol da prosperidade. O campo branco lembra os lencóis avistados pelos primitivos excursionistas; e as linhas sinuosas azuis, representam o rio com o mesmo nome, que passa ao lado da cidade, e por onde os excursionistas também outrora, navegavam.
A roda da engrenagem e a cabeça com capacete alado, em amareo sombreado sôbre campo vermelho caracterizam e enobrecem o trabalho progressista da indústria e do comércio, levado a efeito pelos seus filhos queridos, cuja tenacidade e fibra são representadas pelo vermelho do espaço.
A corôa mural é a mesma da simbologia heráldica luso-brasileira.
Nos suportes, os ramos de cana-de-açúcar e do café assinalam os produtos agrícolas, que mais tem cooperado para a riqueza do Município.
A divisa “Pro Deo, Pro Patria” (Por Deus, Pela Pátria) de prata, num listel vermelho, traduz os fatores de incentivo ao progresso do Município, concitando o lençoenses a trabalhar com fibra, fé e sem descanso para o engrandecimento crescente de sua terra, para o progresso de São Paulo e para glorificação da Pátria comum, nosso querido B R A S I L.
ARTIGO 3O – Fica também aprovado o desenho original do símbolo ora instituído, de autoria da mesma pessoa referida no art. 22.
PARÁGRAFO ÚNICO – Os documentos apresentados à aprovação da instituição do símbolo em apreço, devidamente autenticados pelo autor, pelo Presidente da Câmara e pelo Prefeito Municipal, ficarão arquivados na Municipalidade.
ARTIGO 42 – À partir desta, figurará nas dependências e nos papéis oficiais da Câmara e da Prefeitura, o brasão de armas do Município.
ARTIGO 52 – Esta lei entrará em vigor na data, de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.
Prefeitura Municipal de Lençóis Paulista, 20 de Janeiro de 1955
Virgilio Capoani—Prefeito Municipal  Evaristo Canova—Secretário
* Desenho de Laudelino de Lima Rolim

CONFIRA OUTROS DADOS HISTÓRICOS DE LENÇÓIS PAULISTA