Casas Populares: Inscrições deverão ocorrer entre os meses de agosto e outubro, diz secretário

  • Famílias com renda entre três e cinco salários (R$ 5.817,75) também poderão adquirir seus imóveis
Anderson Prado e o Secretário de Habitação Flávio Amary, no salão de convenções da CDHU

Na tarde de hoje, quarta-feira, 1º de julho, a convite do Secretário de Habitação, Flávio Amary, o prefeito de Lençóis Paulista, Anderson Prado, esteve na capital paulista para formalizar mais uma etapa para a construção de 200 casas populares pela CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano de São Paulo). As casas serão construídas ao lado do Conjunto Habitacional Ibaté. Na ocasião, foi anunciada a abertura de licitação para a construção das casas, cujo processo será publicado amanhã no Diário Oficial do Estado. Segundo o diretor técnico da CDHU, Aguinaldo Quintana, as inscrições deverão ocorrer entre os meses de agosto e outubro, quando serão divulgadas informações de como concorrer a uma das casas. Além do secretário de Habitação, participou também do evento o presidente da CDHU, Reinaldo Iapequino.

O prefeito Anderson Prado assinou, no dia 23 de setembro de 2019, a adesão de Lençóis Paulista ao programa Nossa Casa, o que vai permitir esse empreendimento. Para participar do programa, a Prefeitura cedeu como contrapartida o terreno, que foi adquirido pela Prefeitura por R$ 920 mil e está localizado ao lado do Conjunto Habitacional Ibaté. O terreno tem uma área de 91.225,50 m2.

“A Prefeitura fez sua parte, adquiriu a área, cumpriu os requisitos e foi incluída nesse lote de casas que serão construídas nesse programa do governo paulista. Além dessas 200 casas, já entregamos 72 casas, sendo as 33 em Alfredo Guedes e outras 39 no Ibaté II, estas últimas que receberam moradores da área de inundação da Vila Contente. Entregar boas notícias em um ano tão difícil alegra o coração das pessoas, desperta o amor e a esperança para um futuro melhor”, disse o prefeito.

Ao todo o programa pretende investir R$ 1 bilhão para a construção de 60 mil moradias nos próximos anos em São Paulo. O programa Nossa Casa vai oferecer habitações a preços sociais, ou seja, com valores reduzidos em relação ao mercado, além de dar subsídios que podem chegar a R$ 40 mil para famílias com renda de até três salários-mínimos (R$ 2.994,00). Famílias com renda entre três e cinco salários (R$ 5.817,75) também poderão adquirir seus imóveis com subsídios no valor de R$ 10 mil, dependendo da modalidade o programa.

As modalidades do programa, conforme previsto no decreto Nº 64.4019 de 2019 são definidas em função dos terrenos nos quais serão implantados os empreendimentos, podendo ocorrer em terrenos públicos dos municípios ou do Estado, em terrenos da CDHU e em terrenos privados, tanto de entidades como de empresas. Vale ressaltar que os empreendimentos sempre serão destinados à habitações de interesse social, conforme lei nº 12.801 de 15 de janeiro de 2008.

A Prefeitura fez a adesão ao programa Nossa Casa – CDHU, que prevê a doação do terreno por parte do Município e a construção fica a cargo da CDHU. O Prefeito Anderson Prado agradeceu ao vice-governador Rogrido Garcia e ao governador João Dória, além disse também agradeceu ao Diretor Técnico Aguinaldo Quintana e a toda equipe CDHU por todo apoio recebido desde 2017.

Leia outras notícias     

 

 

.... . .

Deixe uma resposta