Curandeirismo

Segundo escreveu Alexandre Chitto, há alguns anos, esteve em visita a seus parentes nesta cidade, um casal norte americano. A mulher descendente de ingleses e o marido, de italianos. Dentre tantos assuntos na pauta, não poderia faltar o tema curandeirismo. Contudo, os lençoenses tinha um certo receio de tocar no assunto, pois receavam que nos Estados Unidos, a prática do curandeirismo não existisse mais. Lembravam os lençoenses que, naquele país,  até um simples remédio para curar gripe só era vendido sob supervisão médica. Para surpresa de todos, o casal revelou que o curandeirismo no país deles ainda estava em voga e que não era privilégio do povo brasileiro. Em Lençóis Paulista também havia alguns curandeiros que segundo dizem, curaram ou salvaram muita gente da morte. Existiam ainda os benzedeiros de lombriga, picada de cobra, umbigo caído, brotoejo, mau olhado, entre outros males. Tinha ainda aqueles que por meio de orações fortes expulsavam as cobras e outros bichos peçonhentos

.... . .