Dentista alerta: compartilhar objetos pessoais eleva risco de disseminar coronavírus

Especialista do Sistema Hapvida orienta a redobrar os cuidados dentro de casa

Rafaela Magda – dentista Hapvida

Já há um ano vivendo com a pandemia do novo coronavírus, está mais do que clara a necessidade de uso de máscara toda vez que sair de casa, de fazer o distanciamento social e de lavar as mãos com frequência com água e sabão ou higienizá-las com álcool em gel. Mas há cuidados que precisam ser tomados dentro de casa, inclusive, principalmente neste momento em que várias cidades estão passando pelo pior momento da pandemia. Além de higienizar o que traz da rua e trocar calçados e roupas ao chegar em casa, é importante a família adotar medidas de precaução no seu dia a dia porque a transmissão do coronavírus ocorre pela saliva e por partículas presentes no ar e depositadas em objetos, alerta a dentista Rafaela Magda, do Sistema Hapvida.

Por isso, a orientação é não compartilhar objetos pessoais que possam conter resquícios de saliva, como talheres, pratos e copos nem entre membros da família. Também muito cuidado com manifestações de carinho, como abraço, beijo ou mesmo aperto de mão. “Temos de lembrar sempre que a transmissão do coronavírus ocorre através da saliva, das partículas de saliva que ficam suspensas no ar e em objetos e do contato da mão contaminada com a boca, olhos e nariz. Neste momento de aumento de casos de Covid-19, é importante ficar em casa e fazer a sua parte”, completa a dentista.

Sobre o Sistema Hapvida

Com mais de 6,7 milhões de clientes, o Sistema Hapvida hoje se posiciona como um dos maiores sistemas de saúde suplementar do Brasil presente em todas as regiões do país, gerando emprego e renda para a sociedade. Fazem parte do Sistema as operadoras do Grupo São Francisco, RN Saúde, Medical, Grupo São José Saúde, além da operadora Hapvida e da healthtech Maida. Atua com mais de 36 mil colaboradores diretos envolvidos na operação, mais de 15 mil médicos e mais de 15 mil dentistas. Os números superlativos mostram o sucesso de uma estratégia baseada na gestão direta da operação e nos constantes investimentos: atualmente são 45 hospitais, 191 clínicas médicas, 46 prontos atendimentos, 175 centros de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial.

.... . .