Em São Paulo, Doria demite metade dos coordenadores do Projeto Guri

O governador de São Paulo, João Doria, cortou o orçamento da Secretaria da Cultura e Economia Criativa em 23%, num total de R$ 148 milhões. Por conta disto, 650 trabalhadores, de um total de 1.500 pessoas empregadas no Projeto Guri, um dos maiores programas socioculturais do país, começaram a receber nesta sexta (29) aviso prévio de que devem ser demitidos no próximo mês.

Cerca de metade dos educadores, músicos e coordenadores de polos que ensinam música para crianças carentes em todo o Estado de SP serão demitidos.

Caso o corte não seja revertido, o Guri terá que fechar 31 mil de um total de 50 mil vagas hoje abertas. Do total de 335 polos em funcionamento, 171 teriam as atividades encerradas.

Estudos da Associação Brasileira das Organizações Sociais de Cultura estimam que museus, bibliotecas e centros culturais podem ser fechados ou ter suas atividades reduzidas.

Um abaixo-assinado no Avaaz contra o fim do Projeto Guri já chegou a 35 mil assinaturas.

Em nota, a secretaria da Cultura diz que “as metas são minimizar as consequências e buscar mais eficiência e mais eficácia. Estamos fazendo reuniões individuais com cada uma das 18 organizações sociais, incluindo as gestoras do Projeto Guri, para definir as prioridades e os ajustes necessários. Trata-se de um imperativo da realidade orçamentária do estado”.

​ O contingenciamento de verbas, no entanto, vem sendo considerado desastroso pelos operadores da área da cultura.

Com informações da coluna de Mônica Bergamo

Leia Mais

Leia outras notícias

ESPORTES POLÍCIA CULTURA
POLÍTICA NACIONAL INTERNACIONAL

 



.... . .