Especialista afirma: Aleitamento materno reduz risco de obesidade

Quando a alimentação da mãe tem uma grande quantidade de açúcar, por exemplo, a boa composição do leite pode ficar comprometida. Dessa forma, se um bebê que só ingere leite materno está engordando muito devemos analisar a alimentação da mãe. O aleitamento materno reduz, em 20 a 25%, o risco de obesidade. Isso se deve a uma série de fatores. A própria oscilação do volume ingerido nas mamadas ao longo do dia favorece a autorregulação do apetite e, consequentemente, o desenvolvimento do mecanismo de saciedade. A mudança de sabor, de acordo com a dieta materna, prepara o paladar do bebê para a variedade de alimentos que ele consumirá no futuro. A criança se torna reflexo do que a mãe come.
Tenho a endocrinopediatra Fernanda André e a nutricionista infantil Ariane Bomgosto que podem ser usadas como fonte para falar sobre a relação da obesidade com a amamentação. Você teria interesse?
Ariane Bomgosto é nutricionista infantil e especialista em Conteúdo e Linguagem para Práticas Profissionais pela PUC-Rio. Tem experiência com nutrição clínica em consultório particular e palestras na área de nutrição comportamental e obesidade infantil, realizadas em empresas como Johnson & Johnson e colégios como Anglo-Americano e Veiga de Almeida. É jornalista e autora do livro “Contos do Quintal” pela Editora Globo e irá lançar o livro ‘O bê-a-bá da alimentação do seu filho’ pela Editora Chiado no 2º semestre de 2018.
Tem como foco a abordagem da nutrição comportamental, sendo a idealizadora do projeto Nutrição Comportamental Infantil. É uma das idealizadoras do Projeto Obesidade Infantil Eu Trato. E Nesse ano desenvolveu o Projeto “Bê-a-Bá dos Alimentos” que estimula a relação da criança com a comida de uma forma lúdica fazendo do consultório um espaço para estimular e melhorar a relação da criança com a comida.
Fernanda André é endocrinologista pediátrica. Fez residência em pediatria no Hospital Federal Servidores do Estado – HFSE e Especialização em Endocrinologia Pediátrica no Instituto de Puerricultura e Pediatrai Martagão Gesteira – IPPMG do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. É Mestre em Endocrinologia pelo Programa de Pós-Graduação da UFRJ. Possui título de Especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria – SBP e Título de Especialista em Endocrinologia Pediátrica pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – SBEM.

Leia outras notícias

ESPORTES POLÍCIA CULTURA
POLÍTICA NACIONAL INTERNACIONAL

 



.... . .