Esportes em Lençóis Paulista

historia15-espostes

No setor esportivo,  Lençóis também tem muita história para contar. Foi aqui que na década de 1940, Valdir Pereira começou sua vitoriosa carreira. Didi, como ficou conhecido internacionalmente, foi campeão mundial com a seleção  brasileira nas copas de 1958 e 1962. A primeira foi na Suécia e a segunda, no Chile. Depois, Didi atuou por diversos clubes brasileiros e do exterior, mas não esquecia de frisar que tinha começado sua carreira no glorioso Clube Atlético Lençoense o (CAL), que atualmente por causa de política está parado. Outro campeão mundial de futebol que defendeu as cores do CAL é o Marcão, goleiro que atualmente defende o Palmeiras. Marcão foi campeão com a seleção de Luiz Felipe Scolari, na Ásia em 2002. Nos outros esportes a cidade sempre foi muito bem representada. Um exemplo vivo é Maria Angelina Boso, campeã panamericana no arremesso do peso na década de sessenta. Maria Luiz Domingues Betioli conseguiu o mesmo feito na modalidade salto em altura. A mesma faceta foi conquistada por Euclídes Ribeiro, o Cridão, nos cem metros rasos. Em 1989, a equipe de basquetebol mantida pelo Grupo Lwart sagrou-se campeã paulista e no ano seguinte vice-campeã brasileira. Essa equipe tinha no seu plantel; Luiz Felipe, Gerson, Pipoca,  Donizete, Chuí e outros tantos craques da seleção brasileira. Em 1975, um lençoense ganhou o cinturão mundial de boxe. Miguel de Oliveira derrotou por nocaute a José Luiz Duran na cidade de Paris, França. No ano seguinte o campeão lençoense perdeu por pontos para o filipino Elisha Obed, que lhe arrebatou o cinturão. Em 1996, em Atlanta nos Estados Unidos, outro lençoense representou o Brasil e foi medalha de bronze nos quatrocentos metros rasos. A proeza foi de Claudinei Quirino da Silva, único lençoense a participar de uma olimpíada. Contudo, não foram só os campeões estaduais, nacionais ou mundiais que projetaram o nome de Lençóis Paulista no cenário esportivo nacional. No futebol, não se pode esquecer dos irmãos Marcolino: Roberto, Romano que defenderam o gol do CAL e Nenê  (Ronaldo)atuava na lateral direita. O outro irmão, o Rubens preferia o voleibol. Não se pode deixar passar em branco os nomes de Toninho Biral, Milton Moreira, Billy Capoani, Valter Pacífico, Edilio Carani, Toninho Domingues, Belfari, Limão, Radamés,  Disgrama, Nenê Buteco, Elias, apenas para citar alguns. Não se pode deixar de lado o nome de Archangelo Brega, Roberto Sasso, Bertinho Cicconi,  Mauricio Brega,  Silvio Cordeiro, Etelvino Sampaio, José Antonio Foganholi (Pardal), Carlinhos Baptistella, Luiz Carlos Trecenti, José Wilson Gomes, Chico Gordono e mais um montão de gente que cada um à sua maneira, contribuíram e contribuem para o esporte local. Muitos, ou a maioria, empresta seus conhecimentos  em prol do esporte graciosamente, outros, entretanto, muito mais espertos, fazem, particularmente quando ocupam cargos de direção, um trampolim político ou usam a posição para sua ascensão pessoal. De toda a maneira, ou bem ou mal, o esporte é a forma mais rápida de se projetar o nome de uma cidade e, se Lençóis Paulista é hoje reconhecida internacionalmente, deve-se ao fato de esses desportistas terem se empenhado, quer na direção das equipes, quer competindo e trazendo medalhas e troféus para a nossa cidade. Atualmente temos outro esportes em evidência: O karatê e a capoeira têm se destacado nacionalmente. Essas modalidades têm caráter social eficiente tirando os jovens das ruas e afastando-os das drogas. Raphael Blanco é o professor  responsável  pelo karatê e os mestres Formigão, Tatu, Tempestade e Galo comandam a capoeira.
Foto: Marta Brosco, Ex-prefeito Rubens Pietraróia, Maria Luiza Domingues Betioli (Bety) e Maria Angelina Boso.

Miguel de Oliveira

historia16-migueloliveira

Miguel de Oliveira, (com Maguila na foto) ex-campeão mundial de boxe , categoria dos pesos médios, nasceu em Lençóis Paulista  no dia 30 de setembro de 1947. Ele é filho de Bento Carlos e de Alzira Carlos. O nome correto pugilista seria Miguel Carlos. Contudo, na hora de se efetuar o registro de nascimento, o antigo escrivão do Registro Civil, registrou-o como Miguel de Oliveira. Seus pais eram lavradores em Lençóis Paulista.  No inicio de 1948, os pais de Miguel mudaram-se para a fazenda |geada e no município de Agudos. Mais tarde, foram para São Manoel, onde o pai do campeão morreu. Desde aquela época Miguel e sua mãe passaram a morar em Miguel em foto recente ao lado de Antonio Carolo
Osaco/SP, onde ele reside até hoje. A ascensão de Miguel no boxe foi tão rápida que ele foi apontado como sucessor natural de Eder Jofre. das muitas lutas, Miguel teve quatro particularmente difíceis. Duas delas foram contra o campeão japonês Koischi Wagina, no Japão, sendo em ambas derrotado por pontos. A terceira foi na Itália contra José  Luiz  Duran que havia vencido a  Koischi Wagina. Miguel venceu Duran arrancando-lhe o título de campeão do mundo. Em 1975, Miguel lutou em paris e perdeu o título para o filipino Elisha Obed. Atualmente o campeão mundial nascido em Lençóis Paulista ensina sua arte a muita gente importante. Entre os seu pupilos está o trio KLB.

Como tudo começou: Miguel foi convidado por sua tia a trabalhar e estudar na capital paulista. Conseguiu seu primeiro emprego na extinta fábrica de nylon Rio San, onde por ironia do destino havia uma academia de boxe destinada aos funcionários da empresa. Deslumbrado com a possibilidade de praticar boxe, após algumas visitas à academia, logo começou a treinar. Seis meses depois, Miguel de Oliveira disputou o campeonato promovido pela Gazeta Esportiva “Forja dos Campeões”, onde além de ser o campeão da categoria meio-médio-ligeiro, foi considerado o melhor atleta do torneio.  A partir de então, o futuro campeão não parou mais de treinar e conquistou os principais campeonatos nacionais de boxe amador. Foi bicampeão paulista de boxe amador, bicampeão do Torneio dos Campeões, e bicampeão brasileiro. Miguel também passou a representar o Brasil nos principais eventos esportivos internacionais, marcando presença nos jogos pan-americanos de 1967 em Winnipeg no Canada. No final dos anos 60, o boxeador sentiu que já era hora de entrar no mundo do boxe profissional. Suas expectativas estavam certas. Em 1970, sagrou-se Campeão Brasileiro de Boxe, e dois anos mais tarde, já estava nos “rankings” da Associação Mundial de Boxe, e do Conselho Mundial de Boxe, já que na época existiam essas duas versões. Neste mesmo ano, Miguel chegou a vencer no ginásio do Ibirapuera o primeiro colocado do ranking da Associação Mundial de Boxe, o que lhe deu o direito de disputar o título mundial pela primeira vez. No dia 9 de janeiro de 1973, Miguel estava em Tóquio disputando o título mundial de boxe. Mesmo sendo derrotado, o brasileiro não desistiu e conseguiu revanche no ano seguinte. A segunda luta realizada em fevereiro de 1974 foi “muito mais disputada, infelizmente deram o título ao japonês por pontos” diz Miguel. O sonho de ser campeão mundial não se apagou. No ano seguinte, em maio de 1975, o brasileiro de São Manuel vai à Europa e vence no Principado de Mônaco o campeão europeu José Duran da Espanha, tornando-se campeão mundial pelo Conselho Mundial de Boxe. Miguel de Oliveira destacava-se por ser um meio-médio-ligeiro de soco potente, além de ser dotado de grande capacidade técnica. Segundo ele “são propriedades que nascem com o pugilista, mas claro que se deve aliar uma boa técnica com muita dedicação aos treinamentos”. Após encerrar sua carreira, o campeão não se separou do boxe. Como treinador, trabalhou com quatro pugilistas brasileiros. Os lutadores Francisco Tomás, José de Arimatea, José Adilson Rodrigues ( Magulila) e Ezequiel Paixão chegaram a disputar o título mundial, mas sem sucesso. Formado em educação física, Miguel começou a realizar um trabalho de introdução do boxe “recreativo” nas academias paulistas. Segundo ele; “o boxe recreativo é direcionado a pessoas que nunca iriam lutar boxe, mas o treinamento é utilizado para que meus alunos adquiram condicionamento físico, aprendam mais sobre defesa pessoal e o mais importante: serve como alívio do stress”.  Um dos maiores pugilistas brasileiros, encerrou suas atividades com o impressionante cartel de 56 lutas, 50 vitórias (25 por nocaute), 5 derrotas e 1 empate.

Esportes atualmente

Atletismo Masculino e Feminino

A Unidade Municipal de Esportes e dirigida pelo professor de educação física e faixa preta de 4 Dam de caratê, Raphael Blanco. As aulas de atletismo feminino são desenvolvidas na Pista de Atletismo “Juracy Cassita” nos horários de segundas, quartas e sextas, das 16h às 18h, abrangendo crianças jovens e adultos. Aulas ministradas pelo professor Raphael Blanco.

Atletismo PCD – Masculino e Feminino

Aulas desenvolvidas na ADEFILP as segundas, quartas e sextas, a partir das 9h e às terças e quintas, no período da tarde a partir das 14h, atendendo jovens e adultos, com aulas ministradas pelo professor Raphael Blanco. Já o Projeto Escolar Paralímpico atende crianças e jovens na sede da ADEFILP e na Pista de Atletismo “Juracy Cassita” às segundas e quartas, das 16h às 17h. Aulas Ministradas pelo Professor Eduardo Caldeira Barros.

Basquetebol Masculino e Feminino

As aulas e treinamentos diários abrangem a categoria masculina na Escola Municipal “Edwaldo Bianchini” no bairro CECAP, às segundas, quartas e sextas, para crianças e jovens das 17h às 19h20; no ginásio de Esportes “Antonio Lorenzetti Filho” às terças e quintas atendendo jovens das 15h às 16:45; aos sábados, das 10h às 12h e no ginásio do “CESEC” às segundas, das 14h às 15h20 e no ginásio de esportes “Hiller João Capoani”, às quartas e sextas, das 15h às 17:00h. Aulas ministradas pelo professor Leonardo Henrique de Oliveira e monitor Fábio Alex Dutra. A modalidade feminina conta com treinamentos na Escola Municipal “Nelson Brollo” às terças e quintas, das 13h20 às 15h, no ginásio de “Esportes Antonio Lorenzetti Fiho” às segundas, quartas e sextas, das 14h às 16h, no ginásio do “CESEC” às terças e quintas, das 14h20 às 16h e no ginásio “Hiller João Capoani” às terças e quintas, das 14h às 16h. Aulas ministradas pelo professor João Paulo Dalaqua Paschoarelli e monitor Sílvio Luiz Pacheco.

Bocha Masculino e Feminino

Aulas para garotos e treinamentos na cancha do “CESEC”, às segundas, quartas e sextas, das 17h às 19h, ministradas pelo Professor Hugo César Casali.

Capoeira Masculino e Feminino

Aulas e treinamentos na sala anexa ao ginásio de Esportes Antonio Lorenzetti Filho, às terças e quintas, das 20h às 22h e sábados, das 17h às 19h. Aulas ministradas pelo Mestre Tatu – Ivair Carlos.

Futebol de campo Masculino e Feminino

Aulas e treinamentos para crianças, jovens e adultos às terças, quartas, quintas e sextas, nos campos do Paradão, da Prata e nos Estádios João Roberto Vagula, Arcangelo Brega e em Alfredo Guedes. Atividades acompanhadas pelo coordenador de Futebol Celso Ângelo Mazzini e pelos monitores Admilson Manoel da Silva, Wladislau Fernandes Cruz, Cláudio Abade, Luiz Roberto da Silva, Fernando Moraes, João Rafael Gorgônio e Fabiano Mazzini.

Futsal Masculino e Feminino

Aulas e treinamentos todos os dias da semana, nos períodos da manhã às terças e quintas no Ginásio Hiller João Capoani das 08h às 11h, e no Ginásio Antonio Lorenzetti Filho das 08h às 9h20; na quadra da Vila São João, das 8h às 10h; na quadra da Escola Irma Carrit (Vila Cruzeiro), às terças, das 8h às 9h20. No período da tarde aulas às segundas, quartas e sextas, das 16h às 18h, na quadra da Vila São João das 16h ás 18h; e na quadra da Nova Lençóis, das 13h20 às 15h. No período noturno, aulas às terças e quintas, das 18h às 19h15 e das 20h às 22h, às quartas e sextas, das 18h às 19h15. As aulas atendem crianças, jovens e adultos. As aulas são ministradas pelos professores Raul Ramos, Pedro Oswaldo Torres, com os monitores Felipe Capello, Carlos César do Carmo, Maitê Bina e com a coordenação do Professor Adolfo Luiz de Moura Martini.

G.R – Feminino

Aulas na Escola Lina Bosi Canova às terças, quintas e sábados, no período da manhã e da tarde. Professora responsável: Isabel Zacarias.

Handebol Masculino e Feminino

Aulas e treinamentos às segundas e sábados no Ginásio Antonio Lorenzetti Filho no período da tarde; às terças e quintas, das 16h45hs às 18h; aos sábados das 14h às 16h, e no período noturno, das 21h às 22h20, às segundas, das 21h às 22h20. As aulas são ministradas pelo professor Luciano Carmo Liz e o monitor André Paulo Panelli.

Karate – Masculino e Feminino

Aulas e treinamentos dos atletas e alunos são ministradas na Academia Samuray às terças e quintas, das 17h às 19h20 e aos sábados das 10h às 12h, com o professor Edilson Aroca.

Mountain Bike – Masculino e Feminino

Aulas no Parque do Povo, às terças e quintas, das 9h às 11h e no período da tarde das 15h às 17h. Professor responsável; Maurício Diniz.

Natação PCD – Masculino e Feminino

Aulas e treinamentos na sede da ADEFILP às segundas, quartas e sextas, das 9h20 às 10h20 e das 10h20 às 11h20; terças e quintas, das 8h20 às 9h20. Professores responsáveis Raphael Blanco e Eduardo Caldeira.

Skate – Masculino e Feminino

Aulas aos sábados e domingos a partir das 15h, na Pista de Skate da CECAP. Responsável: Rangel.

Tênis de Campo – Masculino e Feminino

Com aulas às terças e quintas, das 15h às 17h Ginásio de Esportes Hiller João Capoani com o monitor Alexandre José Peres, com aulas para crianças e adolescentes.

Tênis de Mesa – Masculino e Feminino

Treinamentos às segundas, quartas e sextas, das 10h às 12h no Ginásio de Esportes Antonio Lorenzetti Filho, com o monitor Wagner Willian Pescara.

Voleibol – Masculino e Feminino

Aulas e treinamentos do projeto Sempre Vôlei todos os dias da semana; segunda das 10h às 12h e das 15h20 às 17h20 no CESEC para a equipe masculina; das 10h20 às 11h20 na Escola Municipal Irma Carrit para iniciação masculina e feminina, e das 17h20 às 19h para o voleibol adaptado masculino.

Aulas às terças na Escola Municipal Luiz Zillo, das 07h20 às 09h20, aulas de iniciação masculino e feminino, das 08h20 às 10h voleibol adaptado feminino no CESEC, das 10h as 12h e das 16h às 18h equipe masculina no CESEC; das 11h às 11h50 e das 13h25 às 14h25, iniciação masculina e feminina na Escola Municipal Idalina Canova de Barros.

Às quartas, das 8h20 às 10h, vôlei adaptado no CESEC para equipe feminina, das 10h às 11h20; iniciação na Escola Municipal Guiomar Borcat, das 10h às 12h; equipe masculina no CESEC, das 12h20 às 13h20 no Irma Carrit; das 13h20 às 15h20; escolinha de voleibol no CESEC, das 15h50 às 16h50 hs; na Escola Lina Bosi, das 17h20 às 19h, voleibol adaptado masculino no CESEC, das 19h às 20h20. Vôlei feminino master, às quintas, das 7h20 às 9h20, na Escola Municipal Esperança de Oliveira, das 10h às 12h, no CESEC equipe masculina, das 16h20 às 18 na Escola Guiomar Borcat (Jardim do Caju).

Às sextas, das 8h20 às 10h, vólei adaptado feminino no CESEC; das 10h às 12h equipe masculina CESEC; das 10h20 às 11h20 na Escola Lina Bosi, das 12h20 às 13h20 na Escola Esperança de Oliveira, das 14h15 às 15h20 no CESEC e das 15h20 às 17h20 equipe masculina no CESEC; das 17h20 às 19h vôlei adaptado masculino no CESEC e aos sábados das 8h às 12h equipe masculina no CESEC. O projeto Sempre Vôlei conta com os professores Douglas Coneglian, Guilherme Macuica, Gustavo Domingues e Eduardo Caldeira.

CONFIRA OUTROS DADOS HISTÓRICOS DE LENÇÓIS PAULISTA