Estado decreta restrição de circulação entre 23h e 5h

Governador João Doria e membros do Centro de Contingência do Coronavírus detalham medidas

O governo de São Paulo endureceu as medidas impostas pela pandemia do novo coronavírus em todo o Estado, nesta quarta-feira (24). Em entrevista coletiva no início da tarde, o governador João Doria (PSDB) informou um toque de restrições em todo o Estado de São Paulo entre 23h e 5h. A medida, que integra o Plano São Paulo, vale a partir desta sexta-feira (26) e segue até 14 de março.

O decreto chega após o Estado registrar o maior número de pacientes de Covid-19 internados em UTIs desde o início da pandemia. Ao todo são, 6.500 pessoas internadas em leitos de UTI. “Temos que adotar essa medida para proteger vidas, proteger a vida dos brasileiros em São Paulo. Nós não temos nenhuma satisfação em adotar uma medida como essa, mas temos a necessidade de aplicar essa medida para proteger vidas”, disse Doria nesta quarta-feira durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes. Segundo o governador, “sem vidas não há consumo”. “Mortos não consomem. Mortos penalizam famílias, entristecem cidades, regiões”, afirmou o tucano.

O coordenador do Centro de Contingência da Covid-19 no Estado de São Paulo, Paulo Menezes, afirmou que o comitê está “preocupado” com o alta de novas internações de pacientes com Covid e disse que, caso se mantenham as atuais taxas, a expectativa é de que os leitos de UTI disponíveis no Estado sejam esgotados em até 3 semanas. “Nós temos uma previsão bastante preocupante. Temos visto situações de mudança muito rápida de situação, regiões ou municípios que estavam relativamente, se eu posso dizer, confortáveis em termos de índices, de indicadores da pandemia e de disponibilidade de leitos, e que rapidamente – em uma, duas semanas – viram a situação mudar e hoje passam por uma situação bastante dramática”, afirmou.

Entre os motivos para o avanço da doença, Menezes citou aglomerações que ocorreram há cerca de dez dias, mas ressaltou que pode haver influência de outros fatores. Afirmou que as autoridades estão discutindo bastante a questão da introdução de variantes do Sars-Cov-2.

fonte: jcnet.com

.... . .