Jovem desaparecida em Bariri foi assassinada e corpo é encontrado

Local da Zona Rural onde o corpo da jovem foi encontrado

Polícia Civil de Jaú encontrou o corpo da universitária de 19 anos enterrado em uma estrada de terra em Cambaratiba, distrito de Ibitinga

A universitária Mariana Forti Bazza, de 19 anos, moradora de Bariri, desaparecida desde a manhã desta terça-feira (24), foi assassinada. O corpo foi encontrado pela Polícia Civil de Jaú nesta quarta, em uma estrada de terra em Cambaratiba, distrito de Ibitinga (90 quilômetros de Bauru). A vítima foi encontrada após confissão do suspeito preso em Itápolis, Rodrigo Pereira Alves, de 33 anos. Ele trabalhava como pintor em uma chácara em frente a academia onde a vítima frequentava. Rodrigo tem ficha criminal extensa e já cumpriu pena, entre outros crimes, por sequestro e estupro.

Segundo a Polícia Civil, ele foi autuado em flagrante pelo crime de homicídio. Rodrigo Pereira Alves, no entanto, conta uma história tida pela polícia como fantasiosa. Ele indicou o local do crime alegando que contribuiu a desovar o corpo da estudante, mas que uma outra pessoa, não indicada, é quem teria a matado. O corpo de Mariana Forti Bazza foi encontrado de bruços. Ela estava vestida, amarrada e amordaçada.

Mariana era moradora de Bariri e estudava graduação de fisioterapia em uma universidade de Bauru. O local do velório ainda não foi informado. O corpo da jovem será periciado nesta quarta-feira.

Vítima desapareceu após pedido de troca de pneu

Câmeras de segurança de uma academia em Bariri (56 quilômetros de Bauru) registraram, nesta terça-feira (24), o momento em que a jovem deixou o local, no início da manhã e seguiu em seu Gol até uma chácara do outro lado da rua para que o suspeito trocasse um pneu murcho. Uma hora depois, a câmera flagrou o veículo deixando o imóvel e ela não foi mais vista. O carro foi encontrado em Itápolis, assim como o suspeito, que estava escondido no telhado de uma casa. Ele não soube dizer para a polícia como fez o trajeto de Bariri para Itápolis. Até o fechamento desta edição, a estudante seguia desaparecida.

O circuito de segurança da academia que Mariana frequenta registrou o momento em que ela saiu de um treino e foi abordada pelo suspeito. A imagem mostra que um dos pneus do carro dela estava murcho, o que leva a Polícia Civil a acreditar que ele tenha se oferecido para trocá-lo. Na sequência, o homem caminha até uma chácara do outro lado da rua e a jovem entra no Gol, faz o retorno e segue ele até o local.

Durante a troca do pneu, a estudante chegou a tirar uma foto do suspeito com o celular e enviar para familiares e para o namorado. Cerca de uma hora depois, a câmera mostra o veículo saindo da chácara em direção ao centro.

A partir daí, a jovem não deu mais notícias e nem atendeu o celular. A polícia foi avisada e equipes da PM e Civil, com o apoio do Helicóptero Águia e Canil, iniciaram as buscas por ela.

De acordo com o delegado Ricardo Dias, o suspeito havia sido identificado com ajuda das imagens do circuito de segurança e da fotografia tirada por Mariana. No final da tarde desta terça, a polícia localizou o Gol da estudante abandonado em Itápolis.

Durante a perícia, foi coletado material no carro para comparação de DNA. No fim da noite, o suspeito – que não teve nome divulgado pela polícia – foi encontrado por policiais civis de Bariri e de Itápolis e policiais militares de Itápolis escondido no telhado de uma casa. (Fonte: Paulo Franco via Facebook)

.... . .