Piadas de louco

Cura do jegue

No hospício, o médico tenta curar o louco que pensa que é um jegue:

– Olhe pro fundo dos meus olhos – diz o medico – repita depois de mim: “Eu não sou jegue.”

– Se não é jegue é uma égua!

– Não. Eu não sou jegue e nada mais!

– Eu não sou jegue e nada mais! – repete o louco.

– Nada mais não, burro!

– Eu não sou burro, sou jegue!

Medo da cama

O sujeito vai ao psiquiatra.

– Doutor – diz ele – estou com um problema: toda vez que me deito na cama, acho que tem alguém embaixo. Aí eu vou embaixo da cama e acho que tem alguém em cima. Pra baixo, pra cima, pra baixo, pra cima. Estou ficando maluco!

– Deixe-me tratar de você durante dois anos, diz o psiquiatra. Venha três vezes por semana e eu curo o seu problema.

– E quanto o senhor cobra? – pergunta o paciente.

– R$ 120,00 por sessão – responde o psiquiatra.

– Bem, eu vou pensar – conclui o sujeito.

Passados seis meses, eles se encontram na rua.

– Por que você não me procurou mais? – pergunta o psiquiatra.

– A 120 paus a consulta, três vezes por semana, durante dois anos, ia ficar caro demais, ai um sujeito num bar me curou por 10 reais.

– Ah é? Como? – pergunta surpreso o psiquiatra.

O sujeito responde:

– Simples, por R$ 10,00 ele cortou os pés da cama.

Pendurado no lustre

Um médico entra num manicômio e se depara com um louco pendurado no lustre e outro deitado no sofá e diz para o que esta no sofá:

– O que ele esta fazendo no lustre?

– Ele acha que é uma lâmpada!

– E por que você não tira ele de lá?

– Por que você quer que eu fique no escuro?

Dupla personalidade

Diz o doutor para o paciente:

– Então qual é o seu problema?

– Acho que sofro de dupla personalidade.

– Então vamos nos sentar os quatro e discutir o assunto.

Avião do presidente

Dois loucos estão sentados na rua, quando um olha pro céu e diz:

– Olha lá o avião do presidente.

O outro questiona:

– Esse não é o avião do presidente. Se fosse, teria uma moto na frente e outra atrás.

Fugindo da galinha

Numa cidadezinha do interior, um sujeito andava tranquilo pela rua. De repente, ele viu uma galinha e começou desesperadamente a correr, apavorado gritando socorro. Seus familiares estavam sem saber o que fazer, pois era uma coisa muito rara e absurda. Levaram o sujeito para um psiquiatra.

– Me diga, qual é o seu problema?

– Doutor, sou uma ervilha e se não me cuido posso ser devorado por uma galinha.

– Ah, sim, é claro. Mas veja bem, o senhor tem duas mãos, não é verdade?

– Sim, mas e dai?

– O senhor já viu uma ervilha com braços?

– Não…

– Duas pernas, como essa que o senhor usa para fugir das galinhas?

– Não… puxa, nunca pensei nisso…

– Veja outra coisa, uma ervilha nunca estaria aqui falando comigo!

– Puxa, doutor! O senhor mudou minha vida! Eu nunca tinha pensado nisso antes! Agora eu sei que não posso ser uma ervilha, é uma coisa absurda, impossível! E lá se foi nosso amigo, todo feliz com sua identidade re-descoberta.

Tranquilo, andando pela rua, ele olha outra galinha e sai correndo apavorado de novo… dessa vez um carro o atropela. Foi para o hospital todo arrebentado e entre as visitas medicas naturalmente chamaram o psiquiatra:

– Mas o que aconteceu? Você não me disse que agora você sabe de não ser uma ervilha?

– Saber eu sei, mas o senhor acha que a galinha já está sabendo?

Tentativa de fuga

Alguns loucos engendraram um plano de fuga do hospício, pulando o muro. Resolveram fazer um treinamento primeiro, antes da fuga, e passaram vários dias pulando para fora, e depois para dentro de novo, para que no dia da fuga pulassem com perfeição e nada falhasse. Marcaram a data da fuga em massa. Os loucos ficaram ansiosos e agitados. Não viam a hora de fugir daquele lugar.

No dia marcado, caiu um temporal que derrubou o muro. Os loucos então, resolveram adiar a fuga, até que construíssem outro muro.

Subindo no poste

Um rapaz estava passando na rua e viu um doido subindo em um poste. Consumido pela curiosidade ele decidiu perguntar:

– Por que você está subindo nesse poste?

E o doido respondeu:

– Vou comer goiaba.

O rapaz indignado questiona:

– Mas isso é um poste, não um pé de goiaba!

E o doido responde:

– A goiaba está no meu bolso, é minha e eu como onde eu quiser!

Mangas maduras

Dois malucos andavam em uma rua deserta, quando viram um pé de manga e começam a jogar pedras. Já cansado José fala para João:

– João, já tem um tempão que estamos aqui jogando pedras e não derrubamos nenhuma uma manga. Vai procurar uma escada.

Depois de um tempo José chega com uma escada.

– Está aqui a escada João.

– Agora suba para ver se tem alguma madura, José.

José subiu e lá de cima do pé de manga fala para João:

– Essa aqui está madura.

– É mesmo, então desce pra gente poder jogar pedra.

O louco e o pão

O louco foi na padaria e perguntou:

— O pãozinho já saiu?

O padeiro responde:

— Sim, saiu sim!

O louco responde:

— Então quando ele voltar, diga que eu quero falar com ele!

Questionário no manicômio

O diretor do manicômio está prestes a dar alta a um dos internos. Submete-o, então, a um último questionário:

— Saindo daqui, o que pretende fazer?

— Ah, eu vou trabalhar muito, pra ganhar muito dinheiro!

— Muito bem, e o que mais irá fazer?

— Vou trabalhar mais ainda, pra ganhar mais dinheiro!

— E pra que você quer tanto dinheiro?

— Pra comprar uma bunda nova. A minha está rachada no meio!

Marido louco

O sujeito desabafa no psiquiatra:

— Ai, doutor… eu tô ficando louco! Minha mulher é loira, tem 1.70 de altura, olhos verdes, seios fantásticos… Uma delícia!

— Até aí não vejo problema nenhum! — diagnostica o psiquiatra.

— Calma, doutor! Deixa eu terminar… Ela tá me deixando maluco porque todas as noites vai no Bar do Pedro e dá o maior mole pra todos os homens! Vai pra cama com o primeiro homem que falar com ela! Eu não tô aguentando isso, doutor! Pelo amor de Deus, o que eu faço?

— Relaxe! Respire fundo! E agora, diga pra mim, aonde exatamente fica esse Bar do Pedro?

Louco dando informação

Certo dia andando nas ruas de São Paulo um senhor pergunta a um doido:

— Senhor, essa é a rua 13 Março?

E o doido responde:

— 13 março, mas de que ano?

Esvaziando o hospício

No hospício, devido a superlotação e precisando desocupar alguns leitos, o diretor resolve fazer um teste de sanidade com os loucos e aqueles que passarem no teste poderão ir diretamente embora para suas casas.

Como fazia um calor infernal, o diretor reuniu todos os loucos à beira da quadra de esportes e disse a eles apontando para o chão da quadra:

— Essa é uma enorme piscina que estamos inaugurando hoje para vocês. Espero que vocês gostem! Podem começar a se refrescar desse calor agora mesmo.

No mesmo instante, todos os loucos tiram as suas roupas e desesperados, começam a pular para dentro do chão da quadra. Um pula de costas, o outro de lado, o outro de cabeça, o outro de barriga. Em fim todos pularam, exceto um.

Curioso em saber porque só aquele louco passou em seu teste, ele aproxima-se do louco e diz:

— Está tão calor hoje! Pode me contar porque todos entraram na água e só você ficou pra fora?

O louco olha triste para o diretor e diz:

— Bem que eu queria! Mas é que eu não sei nadar.

Loucos tomando banho

Dois loucos estavam tomando banho e um deles disse:

— Duvido que você consegue subir pela àgua do chuveiro e encostar no mesmo.

O outro respondeu:

— Eu não. Acha que sou bobo? Eu sei que quando eu chegar lá em cima, você vai desligar o chuveiro e eu caio.

Louco agente secreto

O louco conta para o amigo que arrumou um novo emprego.

— Agora sou agente secreto.

— Ah, é? Mas o que exatamente você faz?

— Sei lá… É tudo tão secreto que eu não descobri ainda.

Loucos na piscina

Em um belo dia ensolarado, os diretores de um hospício decidiram liberar a piscina para os loucos nadarem, e ficaram do alto de um prédio apenas observando o comportamento.

Quando todos estavam se divertindo, um deles começou a se afogar. Do nada surge outro louco, que tira sua camisa e pula na piscina e salva seu amigo. No dia seguinte os diretores do hospício vão falar com o herói:

— Viemos te parabenizar por você ter salvo a vida do seu colega… mas infelizmente ele se matou enforcado no varal.

— Não se matou não. É que ele estava todo molhado, então coloquei ele pra secar no varal!

Competição de palmas

Todo ano acontecia uma competição no hospício para ver qual louco conseguia bater palmas.

O primeiro louco chegou, deu um nó entre os braços e não conseguiu.

O segundo chegou, suando frio, com muito esforço bateu na própria cabeça.

O terceiro chegou, enquanto isso todos olhavam ansiosos, pois, era o campeão do ano anterior que estava no palco. Com muita facilidade ele bateu palmas… então todos os louco o aplaudiram.

Competição de palmas

Todo ano acontecia uma competição no hospício para ver qual louco conseguia bater palmas.

O primeiro louco chegou, deu um nó entre os braços e não conseguiu.

O segundo chegou, suando frio, com muito esforço bateu na própria cabeça.

O terceiro chegou, enquanto isso todos olhavam ansiosos, pois, era o campeão do ano anterior que estava no palco. Com muita facilidade ele bateu palmas… então todos os louco o aplaudiram.

Sou um milho

Um louco pensava ser um milho. Toda vez que perguntavam a ele o que ele era, ele dizia:

— Sou um milho!

Foi para o Sanatório para se recuperar e depois de 6 meses, estava praticamente recuperado. O agora ex-louco foi conduzido a sala do diretor do sanatório, onde o diretor perguntou:

— O que você é?

— Sou um homem, diretor!

— Tem certeza?

— Perfeitamente!

— Parabéns! Você está curado, pode ir para casa!

E o louco sai do sanatório todo satisfeito. Minutos depois ele retorna desesperado e ofegante, fechando a porta rapidamente, tentando mante-la fechada. O diretor vendo aquela cena pergunta:

— O que houve, rapaz?

— Tem uma galinha lá fora!

— Mas você não é um milho!

— Eu sei doutor, mas será que a galinha sabe?

Os loucos e o milhão

Em um daqueles testes de sanidade, o doutor pergunta ao primeiro louco:

— O que o senhor faria se ganhasse 1 milhão de reais?

— Eu ajudaria minha mãe que está muito doente e compraria um bom sítio na Bahia!

O doutor libera o homem e analisa o segundo louco com a mesma pergunta, então o louco responde:

— E investiria nos meus estudos, compraria uma casa na praia e viajaria pelo mundo…

O médico libera o moço e observa que o terceiro louco está pelado olhando para baixo com um espelho entre as pernas. O doutor fica espantado mas mesmo assim faz a mesma pergunta:

— E o senhor, o que faria com 1 milhão de reais?

— Seu Doutor, eu compraria outro cu, porque o meu tá furado!

Brincando com a lanterna

Dois loucos estão num quarto escuro do hospício, brincando com uma lanterna. Um deles aponta a luz para o teto e diz:

— Aposto que você não consegue subir até o teto, se agarrando na luz!

— Você acha que eu sou trouxa, é? Se eu fizer isso, quando eu estiver na metade, você desliga a lanterna e eu me esborracho no chão!

Ajuda do louco

Um caminhão que vem transportando os loucos de um hospício para o outro vira na pista. O médico que vinha na cabine com o motorista sobrevive, vê vários loucos feridos e se desespera, chama pelo motorista, mas o motorista estava morto. Então vê um louco saindo dos destroços e chama-o para ajuda-lo a separar os mortos dos vivos. O médico explica para ele:

— Quando eu disser que está morto você joga no buraco, se eu disser que está vivo você deita ele no chão.

Então o médico começa a examinar os loucos… Após analisar o primeiro ele diz:

— Morto!

O louco joga no buraco. O médico analisa o próximo e diz:

— Vivo!

E o louco deita o outro no chão, até que o médico diz novamente:

— Morto!

O louco pega o corpo nos braços e o leva para jogar no buraco, quando escuta um gemido do louco que está em seus braços:

— Me ajude, me ajude, eu ainda estou vivo…

E o louco responde:

— Deixa de conversa! Quer saber mais que o doutor?

Vou te pegar

Um homem estava passando na frente de um hospício, quando de repente olha para o muro e vê a metade da cabeça de um louco olhando para ele. O louco então fala:

— Eu vou te pegar!

O homem nem liga e continua andando. O louco fala de novo:

— Eu vou te pegar! Cuidado!

O homem fica meio apreensivo e apressa o passo, até que ele fala de novo:

— Eu vou te pegar! — e então pula o muro do hospício.

O homem corre e o louco segue atrás. Começa uma verdadeira perseguição, o homem fugindo do louco e o atrás dele cada vez mais perto. Até que chega uma hora em que o homem se vê encurralado num beco sem saída, e o louco vai chegando cada vez mais perto. Então o homem fica desesperado e começa a gritar:

— Por favor não me mate! Por favor!

O louco chega perto do homem, toca nele e diz:

— Te peguei, agora tá com você! — e sai correndo…

Teste de sanidade

No hospício, resolve-se fazer uma limpa nos loucos. Então os médicos resolvem encher a piscina de areia e avisam-nos que poderiam nadar. Isso para mandar pra casa os que já estão bons. Ao abrir o portão, todos os loucos pulam na piscina. Só um fica de fora. Então os médicos surpresos resolvem perguntar o por que dele não ter pulado.

— Por que você não esta se divertindo com os outros?

Então o louco responde, sentado ao lado da piscina:

— Eu sou o salva-vidas.

Fuga do hospício

Um louco planeja detalhadamente sua fuga do hospício.

— Vou passar por cima do portão através de uma escada que encontrei no pátio. Vai ser moleza!

No dia seguinte, o louco ainda está lá e o companheiro pergunta:

— Ué, você não ia fugir?

— Não deu! O portão estava aberto…

Ser um gato

O sujeito, muito esquisito, vai ao psiquiatra.

— Doutor, doutor! O meu problema é que eu acho que sou um gato!

— Há quanto tempo você vem pensando isso? — pergunta o psiquiatra.

— Ah, desde que eu era um filhotinho!

Mastigando o copo

No bar do hospício, um louco toma um guanará atrás do outro, pensando que é cerveja. Depois de tomar, mastiga o copo, deixando apenas a parte de baixo. E assim faz várias vezes, deixando uma pilha de pés de copo em cima da mesa. Dois loucos que passavam por ali comentam:

— Olha ali, que cara mais pirado!

— É mesmo! Onde já se viu jogar fora justo o pé do copo, que é a parte mais gostosa?

Quantas horas

O louco chega para o outro e pergunta:

— Você sabe que horas são?

— Sei! — responde o outro.

— Muito obrigado!

Carta em branco

No sanatório, o louco recebe uma carta, abre o envelope, tira um papel em branco e comenta com seu vizinho de quarto:

— É do meu irmão! Estamos de mal, há seis meses que não nos falamos!

Mordida na testa

No sanatório o psiquiatra nota que um dos pacientes está com a testa ferida. Curioso, o médico lhe pergunta:

— Ei amigo, o que aconteceu com a sua testa?

— Fui eu que a mordi!

— Mordeu a testa? Impossível! Como você fez pra alcançar aí?

— Foi simples. Eu subi num banquinho.

Onde começar

O rapaz vai ao psiquiatra, deita-se no divã e confessa:

— Doutor, estou tão nervoso que não sei por onde começar…

E o médico, em tom de brincadeira:

— Comece do princípio.

— Bem, no princípio eu criei o Céu e a Terra…

Papel-carbono

Ao chegar no hospício, o diretor se depara com o prédio cercado de policiais.

— O que está acontecendo aqui? — pergunta a um Tenente.

— É que um dos loucos fugiu!

— Qual deles?

— Um que dizia que era um papel-carbono!

— E por que tantos soldados para pegar um louco?!

— É que nós já prendemos três cópias, mas ainda estamos na pista do original!

Pílulas da sabedoria

Numa visita rotineira, o diretor do hospício surpreende um dos pacientes entusiasmado com algumas pastilhas em um vidrinho.

— O que é isso? — pergunta, curioso.

— São as Pílulas da Sabedoria! — esclarece o louco.

— Pílulas da Sabedoria?

— Sim, você engole uma e começa a adivinhar…

— Onde você arranjou isso?

— Fui eu mesmo que inventei. Quer provar uma?

Curioso, o diretor pega uma, coloca na boca e mastiga.

— Mas isso é merda! — esbraveja ele, cuspindo.

— Viu? Já tá começando a fazer efeito…

Gosto por salsinhas

O sujeito vai ao psicólogo e diz:

— Doutor! A minha mulher vive dizendo que eu sou louco só porque eu gosto de salsinhas!

— Mas isso não faz sentido! — responde ele — Eu também gosto de salsinhas!

— Legal! — exclama o paciente — Então vamos lá em casa ver a minha coleção! Eu já tenho mais de duzentas!

Seu nome

No pátio do manicômio:

— Qual é o seu nome? — pergunta um louco a um colega.

— Sei lá, me esqueci… e o seu?

— Também esqueci!

— Puxa, então somos xarás!

Mulher louca

O sujeito vai ao psiquiatra e desabafa:

— Doutor, eu não aguento mais! A minha mulher está completamente maluca!

— Hum… Diga-me o que ela tem.

— Ela adotou cinquenta gatos pra deixar no nosso apartamento de 50 metros quadrados! E o pior de tudo é o fedor, porque as janelas ficam sempre fechadas!

— Hum… Mas por que você não abre as janelas?

— Tá louco? — grita o paciente, histérico — Vou deixar os meus trezentos pombos fugirem?

Louco engraçado

O sujeito era conhecido como o louco mais engraçado do hospício. Todos que estavam perto dele nunca paravam de rir. Certo dia, no pátio, os amigos dele o viram deitando no chão, rolando e quase se mijando de tanto gargalhar.

— Ei, amigo! — assiscou um dos colegas — Posso saber por que você está rindo tanto?

— É que eu acabei de me contar uma piada que eu ainda não conhecia!

Jogando sozinho

No hospício, o louco estava jogando paciência, quando um outro parou e ficou observando-o por alguns instantes.

— Ei , você está roubando! — comentou o bicão.

— Sim, mas não conta pra ninguém!

— Mas você nunca descobre?

— Não, eu sou muito esperto!

Salva-Vidas

Dois loucos tomavam sol na beira da piscina do manicômio até que um deles se jogou na água e afundou. Mais do que depressa o seu amigo, num ato heróico, pulou para salvá-lo.

No dia seguinte o diretor do manicômio foi falar com o “louco salva-vidas”:

— Meu rapaz, eu tenho duas notícias para lhe dar! Uma boa e outra ruim: A boa é que você finalmente vai ter alta! Você salvou uma vida e então nós concluímos que você está curado!

O louco deu um sorriso de agradecimento.

— A notícia ruim é que o rapaz que você salvou ontem se enforcou!

— Não Doutor, ele não se enforcou…

— Como não? Nós o encontramos enforcado com o seu próprio cinto, hoje de manhã!

— Ah, mas fui eu que pendurei ele pra secar!

Conversa com o abajur

A mulher foi ao médico:

— Doutor, o meu marido está completamente louco! Vira e mexe ele começa a conversar com o abajur!

— E o que ele diz?

— Eu não sei!

— Como não sabe? A senhora não disse que viu ele conversando com o abajur?

— Não, eu não disse isso… eu disse apenas que ele conversa com o abajur.

— Mas, então, como foi que a senhora descobriu?

— Foi o abajur que me contou!

Desde o princípio

O psiquiatra pergunta ao paciente:

— Pode me contar desde o princípio…

— Pois bem, doutor! No princípio eu criei o céu e a Terra…

Terceiro andar

O louco se atira do terceiro andar do hospício. Logo, junta uma multidão em volta dele e um sujeito, percebendo que ele ainda está vivo, pergunta:

— O que aconteceu, cara?

E o louco:

— Não sei! Eu tô chegando agora!

Comeu um rato

Um bêbado chega em casa e vê a mesa toda desarrumada com alguns restos de comida do dia anterior.

Morrendo de fome ele resolve fazer uma boquinha, ou melhor, devorar tudo que vê pela frente. Como o seu estado não era dos melhores ele acaba comendo um pequeno rato que estava em cima na mesa. Percebendo a burrada que fez, ele sai a procura de um hospital.

Depois de rodar alguns quilômetros em zigue-zague ele vê um muro branco, estaciona e entra correndo, sem saber que aquilo na verdade era um hospício.

— Me ajuda, Doutor! — ele grita para o primeiro homem vestido de branco que vê — Eu engoli um rato, Doutor! (hic) O que eu faço?

Então o louco de plantão resolveu examinar o bêbado e lhe prescreveu uma receita.

O bêbado saiu de lá e foi direto pra farmácia.

— Seu farmacêutico! — gritou ele, entrando no estabelecimento — Eu engoli um rato (hic) e o médico me deu essa receita! Traz esse remédio pra mim! (hic) Urgente!

O farmacêutico olhou pra receita e começou a rir.

— O que foi? — perguntou o bêbado — Tá rindo do quê, cara?

— Olha só o que tá escrito na receita! — disse ele, sem parar de rir — “Tomar um gato de duas em duas horas e colocar uma ratoeira na bunda!”

Teste da banheira

Durante a visita a um hospital psiquiátrico, um dos visitantes perguntou ao diretor:

— Qual é o critério pelo qual vocês decidem quem precisa ser hospitalizado aqui?

O diretor respondeu:

— Nós enchemos uma banheira com água e oferecemos ao doente uma colher, um copo e um balde e pedimos que a esvazie. De acordo com a forma que ele decida realizar a missão, nós decidimos se o hospitalizamos ou não.

— Entendi — disse o visitante — uma pessoa normal usaria o balde, que é maior que o copo e a colher.

— Não — respondeu o diretor — uma pessoa normal tiraria a tampa do ralo. O que o senhor prefere? Quarto particular ou enfermaria

|   BÊBADOS 1  |   JOÃOZINHO 2   |   LOIRA 1    |   PORTUGUÊS 2   !

.... . .