Piadas de português (1)

Atropelamento da velhinha

O português andava de carro e atropelou uma velhinha que atravessava a rua. O guarda de trânsito pergunta:

– Por que você não buzinou para alertar a velhinha?

E o português explica:

– É que eu não queria assustá-la.

Museu de cérebros

O turista visita o Museu de Cérebros, em Portugal. Acondicionado numa redoma de vidro, conservado em formol, tá lá o cérebro de Einstein, orçado em vinte mil dólares. Mais à frente, o turista encontra exposto o cérebro de Isaac Newton, orçado em trinta mil dólares.

No final do corredor, guardado com toda segurança, o visitante se depara com um cérebro cujo valor é de dois milhões de dólares! Lê a pequena inscrição, abaixo da redoma: “Cérebro pertencente a Manoel, homem mais inteligente de Portugal”.

Abismado com a discrepância de preços entre cérebros de figuras tão eminentes e o cérebro de um simples português, chama o guarda do Museu, também português, que lhe explica:

– Faz sentido ser caro. O Manoel não deixava de jeito nenhum que lhe arrancassem o seu cérebro.

Dublê português

Um dublê português estava fazendo o papel de Jason Voorhees. Os criadores do filme Sexta-Feira 13 mandaram o dublê colocar lentamente a faca no pescoço de uma atriz para depois gravar a cena e fazer efeito de câmera rápida e finalizar com animação 3D. O gravador gritou:

– Luz, câmera, ação!

O português colocou lentamente a faca no pescoço da atriz. Quando a ponta da faca encostou no pescoço, o cara da gravação gritou:

– Corta!

E o português cortou.

Versão do manoel

– Conte-me, Manoel, a sua versão dos fatos. – diz o juiz.

– Pois, foi assim: estava eu na cozinha com a faca a cortar o presunto. Nesse momento entrou a minha mulher, tropeçou, caiu sobre a faca e espetou-se no peito.

– Sim… – diz o juiz – Continue…

– Pois foi assim… sete vezes seguidas!

Fugindo da polícia rodoviária

O italiano passeava tranquilo com sua Ferrari, pelas estradas de Portugal, rodando a mais ou menos 120 km/h, embora as placas indicassem que o limite era 100. Um guarda rodoviário a bordo de uma moto emparelha e faz sinal para que ele encoste. Mas o italiano resolve se divertir e puxa uma segunda, pisa fundo e some, deixando o guarda para trás.

Quilômetros à frente, o italiano encontra um enorme bloqueio policial e é obrigado a parar. Logo um guarda de arma punho aparece e dá voz de prisão:

– O senhor está preso por ter matado um guarda lá atrás.

– Mas como? Eu apenas fugi de seu colega!

– Sim mas fugiu tão rápido que ele desceu da moto, pensando que ela tinha parado.

Missão do espião

O português espião estava em São Paulo em missão entrou no táxi, o taxista perguntou:

– Para onde vai?

O português respondeu:

– Isso jamais saberás.

Zona de turbulência

O português estava no avião, e quando passaram por uma área de turbulência, ele disse:

– Eu acho que vou vomitar!

O passageiro que estava ao lado aconselhou:

– É melhor você vomitar no saco.

O português abre a calça, vomita e diz:

– Obrigado pela dica, foi melhor mesmo.

Quantos pães

Dando um passeio na praça, o brasileiro se encontra com um velho amigo portuga e diz:

– Bom dia, Manoel!

– Bom dia – responde o portuga.

– Manoel, posso lhe fazer uma pergunta pra testar o seu Q.I.? – diz o brasileiro.

– Mas é claro, ora pois.

– Então me diga: Quantos pães você come de manhã em jejum?

– Ahh, não sei, gajo… são muitos.

– Mas é claro que sabe Manoel, você come pão todo dia e vem me dizer que não sabe – esbraveja o brasileiro.

– Pois está bem, são oito pães. – Pronto falei. – responde o portuga.

O brasileiro então cai na gargalhada e diz:

– Pare de ser burro, Manoel, você só come um pão em jejum, do segundo pão em diante você não está mais em jejum.

– Não é que você está certo mesmo. Miserável, viu… passou de um já não está mais em jejum.

– Mas quer saber de uma coisa, gostei… vou pegar o Joaquim agora mesmo.

O portuga corre então para a casa de Joaquim, chegando lá todo ansioso e repete a mesma pergunta a Joaquim:

– Joaquim me responda quantos pães você come em jejum de manhã?

Joaquim então todo confuso diz:

– Orais bolais Manoel, eu acho que não sei.

– Deixe de bobagem, Joaquim, mas é claro que tu sabes sim, vamos diga!

– Está bem Manoel, são quatro pães.

Manoel então fica quase um minuto calado, todo sem graça e diz:

– Orra Joaquim…

– O que foi Manoel?

– Se tu falasse oito eu lhe tinha uma resposta daquelas.

Conselho da sogra

O português chegou em sua casa, e pegou sua mulher na cama com dois brutamontes, verdadeiros guarda-roupas, indignado ele disse:

– O que é isso Maria, estais a me traíres?

– Não Manuel, estou apenas seguindo o conselho de sua mãe.

– Como assim.

– Lembras que tua mãe disse que no mundo de hoje, com tanta doença por ai, sexo só com segurança?

– Sim, e daí.

– Então eu contratei logo dois para não ter problema.

– Ah bom.

Cavando buracos

Dois portugueses estavam cavando um buraco para usar a areia na construção de uma casa. A dona da casa perguntou:

– Bom, como taparão depois este buraco, rapazes?

Um dos portugueses respondeu:

– Simples! A gente cava outro buraco para tirar a areia e entupiremos este com ela.

Conhecendo o picolé

O português veio passar férias no Brasil e conheceu uma delícia chamada picolé. No dia em que estava voltando para Portugal, resolveu levar alguns picolés para seus patrícios. Quando chegou reuniu a família e todos os amigos e foi dizendo:

– Pessoal veja a delícia que eu trouxe do Brasil! Chama-se picolé. O que mais gostei foi o de laranja, por isso trouxe uma mala cheinha para vocês. Aqui está.

Porém, quando o portuga abril a mala e só viu aquele líquido amarelo, ele exclamou:

– Estes brasileiros são mesmo uns gozadores. Além de chuparem todos os meus picolés e deixarem somente os palitos, ainda mijaram na minha mala!

Português no banheiro

O português em viagem na Bahia decide ir ao banheiro antes de sair do restaurante em que havia acabado de almoçar. Como o banheiro estava muito cheio e ele já estava apertado, decidiu ir em um banheiro ao lado do restaurante que ficava no meio de um matagal. Ele entrou, fechou a porta e chapiscou a louça com toda a sua força, mas logo que terminou, percebeu que não havia papel higiênico. Observando toda o banheiro ele vê uma enorme taturana na parede e exclama:

– Ora pois, baiano limpa a bunda é com uma escovinha!

Pegou a lagarta, limpou a bunda com ela e logo sentiu a queimação. Indignado ele reclama:

– Só podia ser coisa de baiano, até nisso tinham que colocar pimenta!

Mulher mais burra

O inglês conta para o alemão:

– Minha mulher é muito burra. Comprou uma bicicleta e nem sabe andar nela.

O alemão respondeu:

– Burra é a minha, que construiu uma piscina e não sabe nadar.

Então, rolando de rir, o português conta:

– A minha ganhou de todas! Vai passar o Carnaval em Salvador, comprou uma caixa de camisinhas e nem pinto tem!

Calcinha comestível para o português

O português entra numa sex shop e é logo abordado pela vendedora:

– A moda agora são essas calcinhas comestíveis!

– Calcinhas comestíveis? – indagou o português.

– Sim, temos vários sabores, morango, tutti-frutti, menta… O senhor quer levar uma para experimentar?

– Está aí! Gostei da ideia, vou levar meia dúzia! Só que vou querer sabor de batata!

– Batata?

– É! É para combinar com o cheiro de bacalhau da Maria!

Dilema do Bezerro

Um português tinha uma vaca e outro tinha um boi, quando um chegou perto do outro e disse:

– Olha cá sabes tu, eu tenho este boi, mas o meu boi parece até veado, parece um boi veado, fica sentado o dia inteiro e não me faz nada…

O outro diz:

– Esta vaca também…então vamos cruzar, e a produção nós dividimos, esta baim?

– Esta baim!

Cruzaram e nasceu um bezerro. O dono do boi disse:

– Anda cá, sabes tú que o bezerro é meu hã, é sim porque tua vaca sem meu boi nada fazia.

O outro retrucou:

– Não senhore o bezerro é meu, porque o teu boi sem minha vaca.

Ficaram naquela discussão e ao fim foram para o distrito. O delegado lá estava, e o português perguntou:

– Anda cá senhor doutor, olha, o senhor é uma vaca e eu sou um boi. Se eu trepo no senhor e nasce um bezerro, de quem é?

O delegado responde:

– É da puta que te pariu!

O português se virou pro outro e diz:

– Estais a ver, não é meu e nem teu, é da minha mãe!

Português indo para o brasil

O português com orgulho, conta:

– Vou para o Brasil ganhar dinheiro. Os brasileiros são todos uns trouxas que acreditam em tudo. Eu vim com um brasileiro no navio e menti para ele que eu era bicha. O idiota acreditou e veio me comendo a viagem toda!

Carro na enchente

Em um dia de chuva e de alagamentos, um rapaz avisa para o português.

– Manoel, a enchente vai levar o seu carro!

Sem perder a tranquilidade, Manoel responde:

– Pois você me acha burro? É claro que não vai levar, ora pois. A chave dele está aqui comigo.

Teto feio

O português leva uma garota para sua casa e lá eles já vão direto para o quarto. Após todo o amasso, ainda deitados na cama a garota olha para o teto e pergunta:

– Nossa Manoel, como esse teto está feio. Por que você não dá uma pintada nesse teto?

E Manoel responde furioso:

– E por que você não dá uma bucetada na parede?

Ver o eclipse

O filho do português pede para o pai:

— Pai, deixa eu ir lá fora ver o eclipse?

— Pode, meu filho, mas não chegue muito perto.

Pare de comer sua mulher

Um brasileiro e um português com sua mulher estavam perdidos em uma ilha deserta, quando o brasileiro teve uma ideia:

— Vamos subir neste coqueiro para ver se conseguimos avistar algum navio. Eu subo primeiro, fico algum tempo e depois sobe você.

O português concordou e o brasileiro subiu. Chegando lá em cima, o brasileiro começou a gritar:

— Joaquim, para de comer tua mulher!

E o Joaquim, espantado disse que não estava comendo ela. E o brasileiro gritou de novo:

— Joaquim, pára de comer tua mulher!

— Já falei que não estou a comer ela!

E o brasileiro gritou para o português mais umas dez vezes, até que chegou a vez do Joaquim subir na árvore. Joaquim não tinha nem chegado na metade da árvore quando o brasileiro atacou a mulher de Joaquim e começou a comê-la. Joaquim olhou pra baixo e falou consigo mesmo:

— Ora pois! Não é que daqui parece que ele estais a comer minha mulher mesmo.

O português e a TV

O Português entra na loja de eletrodomésticos e aborda um vendedor:

— O senhor tem televisão colorida?

— Temos sim, senhor!

— Então, me dá uma amarela!

Açougue pegando fogo

O português era dono de um açougue. Um dia um amigo do portuga chega gritando na casa dele:

— Seu Manoel, seu Manoel.

— O que foi?

— O seu açougue está pegando fogo!

— Não tem problema, a carne está na geladeira.

Dor da injeção

O português foi ao médico tomar uma injeção, chegando lá ele perguntou:

— Vai doer doutor?

O médico respondeu:

— Agora vai doer um pouco, mas mais tarde não.

O paciente contente então responde:

— Então eu volto mais tarde.

Pênalti do português

Manoel explica um lance do jogo de futebol para o amigo:

— Tinha que ver, Joaquim. Na hora de cobrar o pênalti o goleiro me dizia: “Se chutar na esquerda eu pego, se chutar na direita eu pego, se chutar no meio eu pego!”

— E você fez o quê, Manoel?

— Enganei ele, ora pois!

— Enganou como?

— Oras… Eu chutei para fora!

Novo jumbo português

Alegria geral no aeroporto de Lisboa. Está para fazer seu primeiro vôo o primeiro Jumbo português. Na cabine do avião, o comandante faz os preparativos finais e anuncia com orgulho:

— Aqui quem vus fala é o seu Cumandante do primeiro Jumbo português. No primeiro andar temus 200
poltronas-leito com 3 saunas e 5 piscinas. No segundo andar, contamos com 5 quadras de tênis e 3
poliesportivas. No terceiro andar, temos ainda 2 shoppings centers com ampla praça de alimentação. Antes de lhes desejar uma boa viagem, gostaria de lhes informar que dou o cu se essa porra sair do chão!

Este lado para cima

Manoel conseguiu um emprego em uma transportadora e, no primeiro dia, o seu chefe pergunta:

— Manoel, você escreveu “Este lado para cima” nas caixas que transportam os copos de cristal?

— Sim senhor! E para ter certeza de que todos iam ler, eu escrevi de todos os lados!

Carinho com a esposa

O português recebeu uma visita inesperada em sua casa:

— Oi Manoel, como você está?

— Estou bem, Joaquim, e você?

Enquanto isso, chega a esposa de Joaquim na sala e ele pede para ela:

— Meu amorzinho, será que você pode pegar para a gente 2 copos de água?

Mais tarde ele pede novamente para a esposa:

— Meu docinho, será que você pode fechar a janela?

Alguns minutos depois ele pede:

— Amor da minha vida, será que você pode pegar uns petiscos?

E observando o carinho com que Joaquim se referia a sua mulher ele comenta:

— Mas que coisa bonita, Joaquim, 35 anos de casado e ainda fala com todo esse carinho com a sua esposa. Qual o segredo?

— Oras, não tem segredo nenhum, é que já faz 16 anos que esqueci o nome dessa filha da puta!

Morte de paraquedas

Na segunda-feira o Manoel andava muito triste, quando aparece um amigo:

— Então, o que foi que se passou?

— Eu avisei o Joaquim que o povo desta terra é muito religioso.

— Eu sei, já estou aqui há vinte anos. Mas o que é que isso tem a ver com o Joaquim?

— É que ele ontem saltou de pára-quedas e morreu.

— O paraquedas não abriu?

— Exatamente — apesar de estar aqui há pouco tempo, ele já deveria saber que aqui nada abre aos domingos.

Blitz em Portugal

Um grupo de brasileiros, após uma volta pela Europa, alugou um carro na Espanha.

Quando eles chegaram à fronteira de Portugal, o fiscal português deu uma volta ao redor do carro e disse aos brasileiros:

— Vocês não podem passar.

— Mas por quê? — perguntou o motorista brasileiro.

— É porque vocês são cinco num Audi A Quatro.

— E daí? — disse o brasileiro. — Se o senhor olhar os documentos vai ver que é um carro de cinco lugares.

— Isso não me interessa, — disse o fiscal português — o meu comandante falou que num Audi A Quatro só pode ter quatro passageiros.

— Mas isso é um absurdo! — indignou-se o brasileiro.— Vá chamar o seu comandante, eu quero falar com ele. Tenho certeza de que vamos nos entender.

— Agora não é possível, ele está muito ocupado.

— Ocupado com o quê?

— Com os dois caras do Fiat Uno.

Remédios do português

Joaquim vai ao médico que lhe receita três remédios. Uma semana depois o português volta bem pior do que antes.

— O senhor não comprou os remédios que eu prescrevi?

— Mas é claro que comprei doutoire!

— E tomou corretamente?

—Tomaire como? Pois em todos os frascos estava escrito “Mantenha sempre fechado”…

Pedreiros portugueses

Um construtor árabe sabendo que a mão de obra em Portugal era muito barata, resolveu ir a Portugal para poder encontrar alguns homens para trabalhar em sua construção, e com isso conseguiu encher um avião de portugueses.

Mas no meio da viajem, passando por cima de um deserto, aconteceu um problema no avião, e para não assustar os portugueses o árabe disse apenas que a turbulência era devido eles estarem chegando, ao local da obra.

E com isso pousaram o avião no meio do deserto, nisso, os portugueses desembarcaram, e começaram a analisar, olharam para frente só viram areia, olharam para trás só viram areia, olharam para os lados e só viram areia, de repente um português com a cara meio assustada, se vira e fala para seu amigo:

— Manoel, quando chega o cimento nóis ta fudido!

Taxa dos cisnes

O português estava de visita em outra cidade. Chegando lá, viu um pequeno lago com diversos cisnes, onde diversas pessoas em volta observavam. Ele ficou lá por um tempo olhando os cisnes, porém um homem lhe perguntou:

— Você é turista?

— Sim. — respondeu o português.

— Logo vi. Caso não saiba, para cada cisne que olhar terá que pagar uma taxa de 10 reais.

— 10 reais?

— É. Quantos cisnes você viu?

O português pensou, pensou e respondeu:

— Uns 5 cisnes.

— Então, no total dá 50 reais.

O português pagou o valor e rapidamente foi embora.

No dia seguinte, quando contou a história para um amigo ele se surpreendeu:

— Mas que absurdo!

— É, eu sei, eu sei… na verdade eu tinha visto uns 7 cisnes.

Grita tão alto

Três amigos, um inglês, um alemão e um português esperam na fila do caixa da padaria. O inglês comentou:

— Quando fazemos sexo, a minha mulher grita tão alto que a minha sogra, que mora no andar de baixo, escuta!

E o alemão:

— Isso não é nada, a minha mulher grita tão alto, mas tão alto, que a minha sogra, que mora na casa ao lado, escuta!

O português, do outro lado do balcão, dá uma gargalhada e diz:

— Ora pois, isto não é nada, a minha mulher grita tão alto, tão alto, que eu escuto cá da padaria!

A compra do rádio

Um belo dia Manoel falou para Maria:

— Maria Vou comprar um rádio!

E Maria disse:

— Mas aonde você irá arranjar dinheiro para isso Manoel?

— Eu dou um jeitinho!

Então lá foi Manoel na loja para comprar um rádio.

— Quanto é o rádio?

— O rádio custa R$200

— Droga! Só tenho R$100, não pode fazer por R$100?

Então o vendedor com um jeito meio safado de dizer falou:

— Olha eu posso fazer por R$100 mas só se você der pra mim!

Manoel indignado disse:

— Que dar que nada eu sou homem e não vou dar pora nenhuma!

Manoel foi embora, mas 10 minutos depois Manoel volta e diz:

— Olha está certo eu te dou mas não conte pra ninguém!

Então Manoel foi para trás do balcão com o vendedor e o esperado aconteceu… Mas enquanto Manoel levantava as calças o vendedor embrulhou um tijolo para o Manoel.

E então quando Manoel levantou as calças, pagou os R$100, se despediu e foi pra casa.

Chegando em casa ele diz pra Maria:

— Maria abre o pacote que eu vou tomar um banho.

Assim que abriu o pacote Maria viu o tijolo disse para Manoel:

— Manoel te fuderam!

Então Manoel responde:

— Puta que o pariu, está dando notícia até no rádio!

Documento da besta

Um português decidiu comprar um carro novo com capacidade para mais de 7 pessoas. Foi até a loja e escolheu uma Besta, sem nem ver o nome do carro, apenas porque era o modelo mais novo e bonito.
Passados alguns dias, decide sair para passear com a esposa e exibir o carro novo. Fazia a maior festa, buzinava, mexia com o povo na rua e etc.. até que foi parado em uma blitz policial. O guarda então, pergunta:

— Cadê o documento da besta ?

O português responde:

— Está aqui, e lhe entrega a identidade.

O guarda então diz:

— O senhor se enganou, eu quero o documento da perua.

O português olha para sua mulher e diz:

— Ele quer o seu documento também!

Óculos do Japão

O português foi pro Japão e comprou um par de óculos cheio de tecnologia que mostrava todas as mulheres peladas. Manuel coloca os óculos e começa a ver todas as mulheres peladas, ele se encanta. Põe os óculos, pelada. Tira os óculos, vestidas. E assim foi Manuel para Portugal, louco para mostrar a novidade para a Maria, sua mulher.
Quando chega em casa, já coloca os óculos para pegar Maria pelada. Abre a porta e vê Maria e um homem no sofá pelados. Tira os óculos, pelados. Põe os óculos, pelados. Tira, pelados. Põe, pelados.

E Manuel diz:

– Puta que pariu! Essa merda já quebrou!

Sem energia no bar

Joaquim chega no bar e pede uma cerveja bem gelada. O balconista lhe diz:

— Desculpe, mas estamos sem energia elétrica.

E o Joaquim:

— E daí? Eu cá vim para tomaire cerveja, não para tomaire choque!

O navio italiano e o português

No cais, estavam dois navios ancorados. Um navio italiano e outro português. Uma bela noite, de céu estrelado e lua cheia, Manoel saiu no convés e passou a observar o navio italiano. Foi quando ouviu alguém chamá-lo:

— Manoeeeeellllll!

Ele ficou assustado e respondeu para o navio italiano:

— Sim, sou eu!

E a voz gritou de lá:

— Vai tomar no cu, Manoel!

Ele ficou nervoso. Uma fera. Na noite seguinte, resolveu ir lá conferir. Foi chegando ao convés e ouviu a voz novamente:

— Manoeeeeellllll!

— O quê?

— Vai tomar no cu, Manoel!

E isto se repetiu por várias noites. Até que ele se encheu, e foi reclamar com o comandante do navio. O comendante disse:

— Faça o seguinte: assim que tu chegares ao convés, grita Giovanni. Está cheio de Giovanni nos navios italianos. Aí, quando ele responder, tu o mandas tomar no cu, no teu lugar.

— Maravilha! — disse Manoel empolgado.

E lá se foi. De noite, chegou cedo ao convés e gritou para o navio dos italianos:

— Giovaaaaaaaaaanniiii!

Uma voz respondeu de lá:

— Quem me chama?

E ele:

— É o Manoel!

— Vai tomar no cu, Manoel!

Herói do português

O português estava andando à noite num lugar muito perigoso, quando dois assaltantes encapuzados o abordaram e começaram a surrá-lo. Enquanto apanhava o português gritava:

— Socorro! Socooorrroooo! Alguém me ajude!

Eis que surge do nada um homem vestido de preto com uma máscara preta, chapéu preto e uma espada.

O homem luta com sua espada e faz uma marca de Z no peito de um dos bandidos. O outro bandido recebe uma marca de Z na sua testa. Eles fogem correndo. O português ainda no chão é ajudado pelo homem.

— Levanta Manoel!

Todo machucado, mas aliviado e salvo, Manoel agradece:

— Obrigado! Muito obrigado, Zuper-Homem!

|   PORTUGUÊS 2  |  LOIRA 2  |  JOÃOZINHO 2  | BÊBADO 2   |

.... . .