Piadas de sogra (1)

Reclamações da sogra

O sujeito está saindo do seu apartamento com uma mala e cruza com o vizinho, que pergunta:

– Onde você vai com essa mala, Alberto? Tá se mudando?

– Ah, a minha sogra tá me enchendo o saco! Pra você ter uma ideia hoje ela me xingou de vagabundo, inútil, preguiçoso, insensível, cretino, fracassado… Ah, cansei!

– O quê? Que velha folgada! Se eu fosse você, matava ela, cortava em quatro pedaços e jogava no rio!

– E o que você acha que eu tô levando dentro da mala?

Frio crítico

Acabo de falar com um amigo que mora lá e ele me disse que nessa madrugada fez 6 graus negativos e sensação térmica de -20 graus. Ele mora no interior e sua sogra está depressiva e não faz outra coisa a não ser olhar pela janela da cozinha. Me disse que se continuar nessa situação não vai ter outra alternativa, vai ter que deixar a véia entrar.

Sogro no motel

O homem vai no motel com a amante, chegando se depara com o carro do sogro em uma das suítes. Como não se dava muito bem com o sogro, resolveu disfarçadamente riscar toda a pintura do carro.

No dia seguinte ele vai na casa do sogro, vê o carro todo riscado e finge surpresa:

– O que aconteceu, sogro?

O sogro responde:

– Estou com muito ódio. Ontem emprestei o carro pra sua mulher ir na igreja e riscaram ele todinho.

Nova companhia

Marcelo encontra o amigo Paulo que não via há mais de um ano. Paulo acompanhado de uma loira espetacular, ambos em uma lanchonete. Aproveitando que o mulherão foi ao banheiro Marcelo começa o interrogatório.

– Cara! Que mulher é esta? A última vez que nos vimos você era casado com uma mulherzinha muito feia.

– Ah! Não dava mais meu amigo, ela não tinha nenhum estímulo na vida, foi desgastando. Trouxe a mãe dela pra morar com a gente. Quando ela foi trabalhar a noite eu tive que fazer companhia para minha sogra cheia de manias, não dormia sozinha, não ia à padaria de medo de se perder. Praticamente meu fim de semana era fazendo companhia para minha sogra…

– Isso é ultrajante! Ainda bem que você separou dela.

– Separei, mas a minha sogra ainda está morando lá em casa!

– Que coisa bizarra! E esta sua nova namorada maravilhosa sabe disto? – diz Marcelo apontando para a loira que retornara do banheiro.

– Namorada? Ah, esta aqui é a minha sogra!

Enterro da sogra

Um amigo vai ao boteco tentar convencer o outro amigo a ir no enterro da sogra dele:

– Você tem que ir, sua mulher vai ficar chateada com você.

– Eu não vou, rapaz. Que ela descanse em paz.

– Mas vá lá cara, nem que seja pra dar uma cuspida no caixão dela.

– Eu não. Você acha que eu tenho paciência pra ficar em fila?

Assalto na agência bancária

O sujeito vai entrando na agência bancária, juntamente com a sogra, no momento exato em que acabara de haver um assalto. O assaltante passa por ele, correndo, armado, e se dirige aos dois:

– Vocês, por acaso, viram acontecer alguma coisa aqui? Viram algum assaltante de banco aqui?

Ao que o sujeito, responde:

– Eu não vi nada. Mas minha sogra aqui viu tudinho.

Comparação das sogras

Dois amigos estavam sentados no bar tomando uma e conversando:

– Sabe, minha sogra é do tipo que eu posso chamar de anjo!

– Você tem sorte, a minha sogra continua viva!

Diferença entre mãe e sogra

Duas distintas senhoras encontram-se após um bom tempo sem se verem. Uma pergunta à outra:

— Como vão seus dois filhos… a Rosa e o Francisco?

— Ah! querida… a Rosa casou-se muito bem. Tem um marido maravilhoso. É ele que levanta de madrugada para trocar as fraldas do meu netinho, faz o café da manhã, arruma a casa, lava as louças, recolhe o lixo e faz a faxina. Só depois é que sai para trabalhar, em silêncio, para não acordar a minha filha. Um amor de genro! Benza-o, ó Deus!

— Que bom, heim amiga! E o seu filho, o Francisco? Casou também?

— Casou sim, querida. Mas tadinho dele, deu azar demais. Casou-se muito mal… Imagina que ele tem que levantar de madrugada para trocar as fraldas do meu netinho, fazer o café da manhã, arrumar a casa, lavar a louça, recolher o lixo e ainda tem que fazer a faxina! E depois de tudo isso ainda sai para trabalhar em silêncio, para sustentar a preguiçosa, da minha nora.

Cremação da sogra

Após a cerimônia de cremação da velha, todos os familiares e amigos se encontram reunidos ao redor da urna contendo as cinzas e olhando o forno ainda quente.

Depois de alguns minutos, em que muitos murmuravam diante da cena, o genro, que havia bebido todas, pede a palavra para discursar. Sobe em uma cadeira com dificuldade e, na maior comoção etílica:

— E agora, meus amigos, uma salva de palmas pro churrasqueiro!

Me viu roubar?

Um perigoso ladrão entra armado em um banco. Assustando os clientes, vai até o atendente e exige todo o dinheiro do caixa. Com a quantia em mão, ele se volta para um dos clientes e pergunta:

— Você me viu roubar esse banco?

Com a voz trêmula, ele responde:

— Sim, eu vi.

Sem pensar duas vezes o ladrão atira nele. Depois, volta-se par um jovem parado ao lado de uma senhora e pergunta:

— Ei, você me viu roubar esse banco?

— Eu não vi nada não, moço…

— Tem certeza?

— Tenho… Mas a minha sogra, esa senhora aqui do lado, disse que viu tudinho!

Sogra insuportável

O rapaz estava saindo de sua casa com uma mala, quando seu vizinho logo perguntou:

— Aonde você vai Alberto?

Ele então responde:

— Ah, não dou conta mais da minha sogra não, ela só sabe reclamar, me xingar, me esnobar. Perdi a paciência.

— Se eu fosse você, pegava essa velha e picava em 4 pedaços

— E o que você acha que tem dentro dessa mala?

A verdadeira sogra

Era uma tarde quando duas senhoras discutiam na rua sobre um rapaz que estava ao lado delas. Um outro homem que conhecia as duas, se envolveu no tumulto :

— Ei Dona Gertrudes, Dona Guerta, qual e o motivo de tanta gritaria?

Dona Gertrudes respondeu:

— Este homem se casou com a minha filha , portanto é meu genro!

Dona Guerta retrucou:

— É mentira, este homem é casado com a minha filha e não dela!

— Chega, eu vou resolver este problema à moda antiga, vou dividir este homem em dois!

Dona Gertrudes imediatamente respondeu:

— Está certo, pode cortar este desgraçado!

— Meus parabéns dona Gertrudes, você provou que este é seu genro, pois só uma verdadeira sogra para desejar tamanha maldade ao genro.

Buscar a sogra

— Chefe, eu queria que o senhor me liberasse amanhã de manhã. É por causa da minha mulher. Ela quer que eu vá buscar a mãe dela pra passar o fim de semana lá em casa.

— Olha, tem muita coisa pra fazer aqui no escritório e eu não vou poder liberar você amanhã.

— Obrigado, chefe. Eu sabia que podia contar com o senhor.

A noiva do filho

O rapaz chega em casa muito animado e diz para sua mãe que se apaixonou e quer se casar. A mãe inicia uma série de perguntas e ele faz a seguinte proposição:

— Mãe, por brincadeira, vou trazer aqui amanhã três mulheres e você irá tentar adivinhar com qual delas eu irei me casar.

A mãe acaba por concordar com o teste. No dia seguinte, ele traz a sua casa três mulheres lindíssimas.
Elas sentam-se no sofá e ficam conversando com a mãe do rapaz durante um bom tempo. Depois de horas de conversa entre elas o rapaz chega e pergunta:

— Então mãe, você é capaz de adivinhar com qual eu vou me casar?

A mãe responde imediatamente:

— Com a do meio.

O rapaz fica surpreso e pergunta:

— É incrível mãe. Você acertou! Mas como é que adivinhou?

A mãe responde:

— Não gostei dela…

Lápide cara

Todos elogiaram a bondade e o respeito daquele genro que gastou uma nota preta para fazer uma rica lápide de mármore, para a sepultura da sogra.

Os elogios cessaram, no entanto, tão logo se conheceram os dizeres que ele mandou gravar:

“Aqui jaz e jaz bem. Descansa ela e eu também!”.

Respondendo processo criminal

O homem encontra um amigo que há tempos não via, então pergunta:

— E aí Carlão como vai?

— Poxa rapaz, não posso falar agora, estou atrasado para uma audiência no fórum. estou respondendo A um processo criminal — disse ele.

Surpreso, o homem pergunta:

— Mas o que aconteceu?

— Dei uma facada em uma barata!

— Não é possível, por isso não podem te processar!

— O problema amigo, é que a barata estava na bunda da minha sogra!

A mãe da noiva

Faltavam poucos dias para o casamento de Adolfo. A mãe da moça, uma quarentona escultural, estilo Luiza Brunet, lhe disse, no sofá da sala:

— Adolfo, quero que você saiba que eu sempre te achei um homem atraente e … bem … estou sem graça de falar …

— Pode falar, dona Sônia! Fique à vontade!

— Bom, Adolfo, antes que você casasse, eu gostaria de fazer sexo com você!

Adolfo fica boquiaberto e ela prossegue:

— Eu vou lá pro quarto! Se você quiser ir embora, já sabe onde é a porta, se quiser me ter é só ir lá pro quarto, estarei te esperando … gostoso!

Adolfo espera a sogra ir para o quarto, pensa por meio segundo e decide o caminho que vai tomar, corre para a porta e encontra, apoiado no seu carro, o seu sogro, marido da dona Sônia, sorridente.

— Parabéns, Adolfo! — disse ele — Queríamos saber se você era um homem fiel, honesto e leal e você passou pelo teste!

Então a sogra saiu da casa e também o cumprimentou.

Moral da história: É bem melhor carregar as camisinhas no carro do que no bolso.

Experiências científicas

— Amiga, seu marido trabalha com experiências científicas?

— Não por que?

— Nada é porque ele falou para mim que ia ver se cobra voava.

A outra saiu gritando:

— Corre amiga, corre!

— Por quê? — Perguntou ela.

— Ele vai jogar minha mãe pela janela!

Viagem para Europa

A senhora, respeitável, comenta com uma amiga:

— Meu genro disse que me dará uma passagem para a Europa.

— Que ótimo! Você vai sozinha?

— Vou. E meu genro já avisou que vai mandar a passagem de volta quando eu chegar lá.

Lenço no rosto

A garotinha encontra o tio com um lenço amarrado no rosto, passado por baixo do queixo:

— Oi, tio! Tá com dor de dente?

— Não. Eu estou de luto por minha sogra, que morreu faz dois dias. Só que, de vez em quando, não sei por quê, me dá uma vontade de rir!

De joelhos

No último quebra-pau que eu tive com minha sogra, ela se ajoelhou no assoalho e me olhou fixamente.

— Fez isso pra te pedir perdão?

— Não, pra gritar: “Saia já debaixo dessa cama, seu palerma!”

Cortar o rabo

O camarada leva o cachorro ao veterinário e pede para cortar o rabo do bicho. O médico corta e o sujeito reclama que ainda ficou um pedacinho. O veterinário tenta argumentar que se cortar tudo fica muito feio, mas não adianta, o cara é inflexível. Quer que corte tudo, tudinho. O doutor acaba concordando, mas pergunta:

— Posso ao menos saber o motivo de tanta implicância com o rabo do pobrezinho?

— Não é implicância não, doutor! Acontece que minha sogra vai passar uns dias conosco, e eu não quero ver nenhuma manifestação de alegria lá em casa!

Tempo sem sexo

Um caminhoneiro passou muito tempo viajando e para fazer surpresa para a esposa, voltou para casa de madrugada. Como ele estava há muito tempo sem fazer sexo, logo que chegou correu para o quarto agarrou a esposa e transou com ela umas quatro vezes. Quando acabou, resolveu ir até a cozinha beber água. Quando chegou encontrou a esposa sentada tomando café. O caminhoneiro intrigado perguntou para ela:

— Querida, você não estava agora mesmo no quarto?

— Não, aquela é minha mãe que veio dormir aqui enquanto você estava viajando.

— Então, você nem imagina o que aconteceu — disse o caminhoneiro. — Logo que cheguei em casa, corri para o quarto e pensando que fosse você transei umas quatro vezes com a sua mãe.

A esposa indignada foi correndo falar com a mãe.

— Mamãe, é verdade que meu marido transou umas quatro vezes com você, pensando que fosse eu?

— Foi — respondeu a mãe.

— E você não disse nada?

— Você sabe muito bem que eu não falo com ele há cinco anos, não era bem agora que eu ia falar.

Relógio de parede

O homem chega em casa exausto de um dia estafante e sua mulher dando pulos de alegria disse:

— Querido, hoje um desastre quase aconteceu! O seu relógio de parede, aquele de 90kg, quase caiu na
cabeça da minha mãe.

O homem já, cansado, decepcionado exclama:

— Droga! Aquele relógio vagabundo sempre atrasado!

Sogra no pesadelo

Um homem está muito perturbado e vai consultar o médico…

— Doutor, já fazem quatro semanas que eu não durmo direito. É um pesadelo. É terrível, doutor. É toda noite a mesma coisa, o mesmo pesadelo. Não estou mais aguentando isso. Acordo de noite assustado, molhado de suor. Não sei mais o que fazer.

— Como é esse pesadelo?

— É o seguinte: eu vejo a minha sogra. Ela vem me comer. Vem montada num monstro medonho. Aqueles olhos vermelhos saltando da cara, aquele corpo peludo, os dentes afiados, umas ventas horríveis, uma boca enorme ameaçando me engolir…

— Deve ser muito amedrontador — diz o médico.

— O senhor ainda não viu nada, agora deixa eu contar como era o monstro, doutor.

Presente de sogra

Certo dia a sogra riquíssima resolveu fazer um teste com seus três genros para ver se eles realmente gostavam dela.

Ela chamou o primeiro para fazer um passeio de barco, fingi que cai no rio e o genro rapidamente pula na água e a salvou.

Quando ele chega em casa, abre a garagem e encontra uma BMW novinha, com um bilhete em cima: “Da sua sogra que te adora! ”

No outro dia foi a vez do segundo. Eles foram para o mesmo passeio de barco, a sogra fingi que cai no rio e o genro rapidamente a salva.

Quando ele chega em casa, abre a garagem e, novamente, uma BMW novinha, com um bilhete em cima: “Da sua sogra que te adora! ”

No outro dia foi a vez do terceiro genro. O mesmo passeio acontece, a sogra finge que cai no rio mas o genro não a salva e ela morre.

No dia seguinte, ao chegar em casa, ele abre a garagem e encontra uma Ferrari, com um bilhete em cima: “Do seu sogro que te adora! ”

Morte da sogra

Após realizar, com grande alegria, o enterro da sogra e tomar uma cana comemorando a morte da peste, aquele sujeito vem voltando para casa, quando passa perto de um edifício em construção. Nisso cai um tijolo lá do alto, quase o atingindo.

Imediatamente o genro olha para o alto e, entre assustado e revoltado comenta pra si:

— A peste já chegou no céu!

Sogra agredida

E o delegado, para o genro da vítima:

— Eu não consigo entender como é que o senhor ao ver um homem agredindo a sua sogra, pôde permanecer de braços cruzados!

— Pois é, doutor! Eu até que estava com vontade de fazer alguma coisa, mas…

— Mas, o quê?

— Achei que dois caras batendo numa velhinha seria muita covardia!

Lar dos idosos

O sujeito bate à porta de uma casa e assim que um homem abre ele diz:

— O senhor poderia contribuir com o Lar dos Idosos?

— É claro! Espere um pouco que eu vou buscar a minha sogra!

Namorado cético

A garota chega pra mãe, reclamando do ceticismo do namorado.

— Mãe, o Mário diz que não acredita em inferno.

— Case-se com ele, minha filha, e deixe o resto comigo!

Jaguar de presente

Dois colegas conversam em um bar.

— Cara, no dia das mães, dei um jaguar para a minha sogra.

— E aí? Ela gostou? A velha, ficou muito emocionada?

— Você nem imagina quanto. Precisava ver a cara dela quando eu abri a jaula.

Matou a sogra

O homem compareceu ao plantão de polícia dizendo que queria confessar um crime. Com sono, o delegado vem até a sala de interrogatório e pergunta:

— O que você fez?

E o cara:

— Matei minha sogra!

— Bom, meu rapaz, você devia estar muito transtornado quando cometeu esse crime, não se importe, vá pra casa e descanse. Amanhã a gente resolve isso. Está tudo bem.

— Mas doutor eu enterrei a velha!

— Ah me filho, viu que boa alma você é? Enterrou a sua sogra e assim já evitou toda aquela burocracia.

— Doutor! Mas quando eu estava enterrando ela gritava que ainda estava viva!

— Ô meu filho e você não sabe que toda a sogra é mentirosa e teimosa?

Sogra irritante

A família saiu de viagem levando a sogra. No meio do caminho, ela não parava de gritar, resmungar e se debater. O genro não agüentava mais ouvir aqueles berros, e resolveu parar o carro para tomar uma providência. Desceu do carro, abriu o porta-malas e falou:

— Tudo bem, já chega! A senhora pode ir lá na frente. Mas se der um pio, volta pra cá, outra vez!

A sogra e o policial

A família inteira estava no carro voltando do feriadão na praia. Quase chegando em casa, um policial rodoviário manda o carro parar:

— Por favor, os documentos, do senhor e do veículo. Sabia que estava a cento e quarenta por hora e que a velocidade permitida aqui é apenas noventa?

— Não seu guarda, eu estava a noventa, tenho certeza disto.

A sogra, sentada no banco de trás entre as crianças, começa a participar da conversa:

— Ah, Paulo Ricardo, que é isso! Você estava a 140 ou mais!

O cara olha para a sogra vermelho de raiva. O policial continua:

— E sua lanterna direita não está funcionando…

— Minha lanterna? Nem sabia disso. Acho que queimou durante a viajem.

E a sogra corrige:

— Ah, Paulo Ricardo, que mentira! Faz quase um mês que você está falando que precisa trocar a lâmpada da lanterna!

O cara fica quase louco e faz sinal à sogra para ficar quieta. O policial:

— E o senhor está sem o cinto de segurança.

— Mas, seu guarda, eu estava com ele. Eu só tirei para pegar os documentos!

— Ah, Paulo Ricardo, mentindo de novo? Você nunca usa o cinto!

O cara explode e grita com a velha:

— Cacete! Dá pra calar a boca?

O policial chega perto da janela da sogra e pergunta:

— Esse sujeito sempre grita assim com a senhora?

E a sogra que colabora responde:

— Não, não senhor, seu guarda. Só quando bebe!

Homem bondoso

O homem bate à porta de uma casa e assim que dono abre, ele fala:

— O senhor gostaria de contribuir com o Lar dos Velhinhos?

— Mas é claro! Espera aí um pouquinho, que vou já buscar a minha sogra!

|  PÁGINA DE PIADAS  |  BÊBADOS 1  |  LOIRA 2  |   PORTUGUÊS 2 | JOÃOZINHO 2  |

.... . .