Prefeitura disponibiliza nova Central Covid-19 a partir dessa quinta-feira, 18

Em coletiva de imprensa realizada na tarde de hoje, dia 17, o prefeito Anderson Prado anunciou que a partir dessa quinta-feira, 18 de junho, a Prefeitura disponibilizará um novo número aos munícipes que necessitam a falar na Central Covid-19. O número 3269 7140 receberá as ligações e distribuirá nos seus 10 ramais, que serão atendidos por servidores municipais em trabalho voluntário. A mudança em tempo recorde acontece para solucionar um problema que vinha ocorrendo com os números de celulares anteriormente disponibilizados, que serão gradativamente desativados.

Sobre às cobranças que vem recebendo via redes sociais sobre as empresas em funcionamento, Prado lembrou que são de responsabilidade dos Governo Federal e do Estado o protocolo de funcionamento, mas lembrou que “muitas pessoas acreditam que estamos de férias”, pelo fato de o comércio estar abrindo em tempo reduzido. Pediu mais uma vez atenção especial às pessoas dos grupos de risco, e aos jovens fez um apelo para que respeitem as barreiras e não promovam encontros e reuniões nos fins de semana, como forma de evitar o contágio.

O médico Dr. Norberto Pompermayer, presidente do comitê local de combate à Covid-19, seguiu a mesma linha do discurso de Prado, afirmando que o prefeito não está sozinho nesta luta, pois entende que só a união fará com que a batalha contra o vírus seja vencida. O médico afirmou que já há uma falta de insumos médicos para determinadas áreas da medicina, e que somente casos necessários e de urgência devem procurar o hospital, e que nem mesmo visitas devem ser feitas a hospitalizados, como forma de barreira para não haver o contágio do vírus. O médico informou ainda que o Comitê de Enfrentamento à Covid-19 determinou a suspensão de cirurgias eletivas, justamente para poupar insumos.

Dr. Norberto Pompermayer, médico

Pompermayer ao analisar cobranças de munícipes sobre algumas empresas que estão em funcionamento disse: “nós não temos empresas de coisas supérfluas aqui. Temos empresas essenciais”, falou, para sem seguida comentar sobre o número de infectados na cidade. “É desconfortável, é triste, é lamentável ver as pessoas adoecendo, mas nós sabíamos disso”, disse, complementando que desde as primeiras coletivas o apelo para o isolamento vem sendo feito.

Ao final da coletiva, o vereador André Paccola Sasso, presidente do Comitê Parlamentar do Pacto Regional tirou algumas dúvidas que havia recebido de munícipes sobre a abertura do comércio lençoense. “Tudo que é considerado essencialidade, como supermercados, farmácias, padarias, não cabe ao município regrar sobre isso porque foi uma determinação do Governo Federal”, explicuo.

Quanto ao comércio permanecer aberto por período de 4 horas, de segunda a sexta-feira, com atendimento de apenas 20% da capacidade de cada estabelecimento, Sasso disse que “essa foi a opção dada pelo governo do Estado para não fechar tudo”, em alusão ao fato de o município ter sido rebaixado uma fase, da amarela para a laranja, pelo número de infectados. “As pessoas precisam entender é que pela nossa Fase atual muitas das coisas que estão abertas hoje poderiam estar fechadas. Então apesar das limitações conseguimos manter pelo menos o mínimo de fomento da economia”, completou.

 

.... . .

Deixe uma resposta