Rio Lençóis é 100% monitorado

Bacia passou a contar com sistema de monitoramento telemétrico para o controle de enchentes em toda a sua extensão

Lençóis Paulista – A bacia do rio Lençóis passou a contar com 100% de monitoramento telemétrico para o controle de enchentes. O anúncio foi feito nesta semana pelo Conselho Técnico do Comitê Gestor da Bacia Hidrográfica do Rio Lençóis (CGBH-RL). Segundo o órgão, essa é a única unidade de bacia hidrográfica do Estado de São Paulo com total monitoramento hidro-fluviopluviométrico.

A conclusão da configuração da rede hidrométrica ocorreu recentemente, por meio de um trabalho mantido e desenvolvido pelo Comitê, com apoio de empresas da área geopolítica da Bacia do Rio Lençóis. Os dados coletados pelas várias estações telemétricas instaladas ao longo do rio são enviados via satélite para uma plataforma unificada, que realiza a análise das informações.

De acordo com o Comitê, os investimentos vêm sendo feitos desde 2017 pela iniciativa privada. “Após as conclusões das obras de desassoreamento do rio Lençóis executadas pela CPFL Renováveis, que é uma das signatárias da gestão integrada da bacia hidrográfica, o CGBH-RL dará continuidade às articulações técnicas de execuções prioritárias previstas no PGA (Plano de Gerenciamento de Águas) entregue ao MP”, informa.

MAIS PISCINÕES

De acordo com o órgão, também serão habilitados mais quatro ou cinco reservatórios de amortecimento de cheias, em mais dois municípios, para atingir a cota de amortecimento de 1,5 milhões de metros cúbicos de água. “Para isso, estamos aguardando que as defesas civis dos municípios solicitados entreguem as vistorias técnicas para que o Conselho Técnico do CGBH-RL possa deliberar o comissionamento de uso dos reservatórios”, explica.

“Assim que passar o período eleitoral, depois da retomada das atividades pós-pandemia, o Conselho Técnico deverá se reunir com os prefeitos eleitos ou reeleitos dos sete municípios para traçar as novas metas de gestão integrada da bacia do rio Lençóis para os próximos quatro anos, provavelmente, em reunião com o Ministério Público Estadual, onde será feito um balanço dos resultados obtidos e das deficiências gerenciais ainda existentes”.

Fonte: jcnet.com.br
por Lilian Grasiela

.... . .