Veja dicas de como congelar e descongelar alimentos corretamente

De acordo com nutricionistas, apesar de evitar o desperdício, o congelamento não é recomendado para todos os alimentos

O congelamento de alimentos é uma forma de conservar e reduzir o desperdício de ingredientes e refeições. Porém, ao descongelar, é necessários alguns cuidados, como não usar água corrente, não colocar o alimento em temperatura ambiente e não congelar uma segunda vez. As dicas são de nutricionistas da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

Segundo Sizele Rodrigues, o descongelamento é o processo que faz o alimento congelado retornar à sua condição natural. A nutricionista explica que o procedimento nunca deve ser feito em temperatura ambiente ou com a utilização de água corrente. “Dessas formas, os riscos de contaminação por microrganismos são aumentados significativamente. Além disso, ao descongelar algum produto embaixo da torneira, ocorre grande desperdício de água”, diz.

A dica de Sizele é manter os alimentos congelados na geladeira de um dia para o outro ou utilizar o forno micro-ondas. “É importante lembrar que produtos já descongelados não devem ser congelados novamente”, afirma.

Dicas para congelar os alimentos

Segundo as nutricionistas, temperaturas abaixo de -18 ºC inibem total ou parcialmente a deterioração dos alimentos, permitindo que muitas características sejam mantidas próximas ao natural. Mas para conservar de forma correta os ingredientes ou refeições prontas, é necessário seguir algumas dicas:

  • O congelamento não é recomendado para todos os alimentos. Legumes e verduras usadas em saladas cruas, frutas para consumir ao natural, macarrão sem molho, gelatinas puras, cremes com amido de milho e queijos com maior quantidade de água (ricota e queijo minas) não devem ser congelados, pois perdem suas características naturais;
  • Observe o prazo de validade, faça a higienização correta de frutas, verduras e legumes para evitar perdas nutricionais e sensoriais, como textura, consistência, sabor e aroma;
  • Reduza sal e temperos nas preparações, pois estes ficam acentuados após o congelamento;
  • Ovos, por exemplo, não devem ser congelados dentro das cascas ou já cozidos, por perderem a textura. Porém, é possível congelá-los inteiros fora das cascas. Por apresentarem grumos gelatinosos, o melhor é congelar claras e gemas separadas, acrescentando-se às gemas um pouco de sal ou açúcar;
  • As carnes cruas não devem ser congeladas temperadas, pois podem escurecer e ter seu sabor alterado, à exceção de hambúrgueres caseiros, almôndegas e alimentos já prontos;
  • Congele a carne crua em peças pequenas, cubos, tiras, moída e em bifes de forma individual, separados por filme plástico. Isso ajudará na preparação e evitará o desperdício, já que carnes cruas não podem ser recongeladas;
  • Congele peixes limpos e sem vísceras. A embalagem deve ser dupla para não passar cheiro ao freezer. No caso de peixes e frutos do mar, recomenda-se não descongelar totalmente e iniciar o preparo quando ainda estão gelados;
  • Use embalagens resistentes às baixas temperaturas que não rasguem facilmente e que são impermeáveis. Plásticos rígidos e filmes plásticos são recomendados;
  • Evite usar embalagens de isopor e porosa, como papel e papelão;
  • Retire o ar das embalagens para evitar a formação de cristais de gelo, que podem causar alterações nas características naturais do alimento durante o processo de congelamento;
  • Embale os alimentos em pequenas porções para serem consumidas, evitando o desperdício;
  • Verifique se há espaço de aproximadamente 2 centímetros entre o alimento e a borda do recipiente, já que os líquidos se expandem ao congelar;
  • Utilize etiquetas com o nome do alimento/preparação, quantidade, data de congelamento e de validade

Fonte: canalrural.com.br

.... . .