Miscigenação

A acolhedora Lençóis Paulista, desde os seus primórdios, teve como filhos naturais ou adotivos, pessoas descendentes das mais variadas raças. Inicialmente, com a abolição dos escravos, (graças a Deus), instalaram-se aqui os italianos, os sírios e espanhóis. Mais tarde, em menor número, os japoneses e outra etnias. Hoje, graças a essa miscigenação, a cidade é tida como uma das mais progressistas do Estado e do País. Além do trabalho das famílias de sobrenome tradicionais, muito se deve aos descendentes de famílias que têm o sobrenome associado a algum objeto, ou algo que o valha. Só para se citar alguns, em Lençóis há sobrenome: Justo, Quadrado, Longo, Redondo, Moreno, Marrom, Vermelho, Claro, Negrão, Branco, Torres, Pinto,  Trindade,   Turco, Vacca, Barbeiro,  Luz, Russo, Sardinha, Tamborim, Tangerino, Valente, Modesto, Carmo, Franco, Lima, Bereta, Galo, Forte, Rico, ventura, Máximo, Machado, Leite, Capella,  Anjos, Cruz, Costa, Belo, Bezerra, Arruda, Villas, Caçador, Riacho, Contente, Estrella, Bicudo, Mergulhão, Rosa, Argentino, Grande, Pintor, Barros, Bispo, Caldeira, Caldeirão, Campo, Canhão, Carneiro, Carvalho, Castanheira, Chaves, Reis, Coelho, Cola, Conquista, Cordeiro, Correia, Cruzeiro, Dias, Domingos, Ferro, Faxina, Flores, Pulga, Grilo, Grana, Granado, Laranjeira, Neves, Calvo, Madeira, Mata, Precioso, Natal, Salgado, Pacífico, Penteado, Pires, Placa, Porto, Príncipe, Real, Leal, Rios, Milagres, Terra, Trigo, Vale, Generoso, Brasil. Certamente, alguns ficaram fora de nossa pesquisa, razão pela qual pedimos desculpas.
Lençóis Paulista agradece e homenageia a toda essa gente laboriosa que dignifica o nome da cidade. (Benedicto Blanco, jornalista responsável pelo site. (MTb 24.509)