Professor Antonio Esperança de Oliveira

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O professor Antonio Esperança de Oliveira nasceu no dia 13 de junho de 1878, na cidade de Itapetininga/SP. Sua mãe, D. Regina de Oliveira, muito pobre, com elevado sacrifício, conseguiu matriculá-lo na Escola Complementar daquela cidade. Depois de um curso brilhante, diplomou-se a 30 de novembro de 1902. Durante os seus estudos, Esperança de Oliveira exercia a profissão de Alfaiate. Além disso, era músico e consumado compositor. Em abril de 1904,  deu inicio à profissão de professor dando aulas para o magistério na Escola Masculina, em Lençóis Paulista. Em 1907, ele conseguiu organizar uma Legião Mirim de trinta elementos. Em 1918, aconteceu no largo da Igreja Matriz, uma quermesse em louvor a Nossa Senhora da Piedade. Entre as barracas, havia  a do “leilão”. Às 22h não havia o que mais se arrematar, restando apenas duas bandeiras de papel: brasileira e italiana. Segundo relatou o historiador  Alexandre Chitto, não se soube de quem partiu a idéia de se colocar em leilão a bandeira italiana, sendo arrematada pela Colônia da Península, a um preço alto. Depois a bandeira brasileira também foi arrematada por um bom preço. Consta nos registros, que no dia seguinte, comentava-se na cidade, que o professor Esperança de Oliveira havia “tocado” um processo contra o professor Armando Madureira, principal festeiro, por ele ter colocado no leilão, a bandeira nacional. De acordo com relatos de Alexandre Chitto, desconhece-se o resultado da questão, mas, sabe-se, entretanto, que o professor Madureira fora destituído do cargo de diretor do Grupo Escolar e transferido par outra cidade. Depois o professor Esperança também foi removido. Em fevereiro de 1929, Esperança de Oliveira foi  nomeado Inspetor de Escola. Ao falecer em 1932, estava incorporado como sargento ao Batalhão de Voluntários de  Professores, durante  revolução constitucionalista.
O governo do Estado, rendendo homenagem ao ilustre professor, batalhador da santa cruzada contra o analfabetismo que, em Lençóis Paulista durante 17 anos exerceu com brilho e dedicação, por decreto de 5 de fevereiro de 1942, determinou que o Grupo Escolar, que tanto honrara, passasse a chamar-se ”Esperança de Oliveira”, perpetuando assim a sua memória. O ilustre professor cometeu suicídio em 1932, pulando do viaduto do Chá, em São Paulo.

Fonte: Lençóis Paulista, Ontem e Hoje